A aplicação do stiper em pontos da reflexologia podal em casos de dor lombar

Cristina de Paula Avelino, Graciela Mendonça da Silva de Medeiros

Resumo


Este estudo tem como objetivo verificar a eficácia da aplicação do Stiper sobre pontos da reflexoterapia em casos de dor lombar. O Stiper é uma pastilha de óxido de silício que tem a função de estimular pontos, zonas ou áreas do corpo a partir da reordenação da frequência energética local. A pesquisa justifica-se por viabilizar a utilidade deste método terapêutico como extensão do tratamento naturológico fora de consultório, promovendo estímulo terapêutico realizado pelo profissional por mais tempo. Participaram efetivamente, até o final da pesquisa, 43 (quarenta e três) pessoas que relatavam ter dores na região lombar para receber aplicações do Stiper. Foram realizados seis encontros, na frequência de uma vez por semana. Para análise dos resultados foram utilizados: escala facial de dor Wong-Baker (para identificar intensidade de dor) em todas as sessões e Questionário Oswestry (para avaliar a incapacidade causada pela dor lombar) aplicado no primeiro e último dias da pesquisa. Os resultados foram satisfatórios tanto na redução do nível de dor quanto na de incapacidade gerada pela mesma. Conclui-se que a associação da reflexoterapia e do Stiper, através dos questionários utilizados, possui resultados estatisticamente e clinicamente significativos quanto à analgesia da região lombar uma vez que durante a pesquisa obteve-se como resultado 72% de redução no nível de dor e 55% de melhora na incapacidade gerada pela dor.

Palavras-chave


Reflexologia; Dor lombar; Stiper.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/cntc.v2e3201314-21

Cad. naturol. terap. complem. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, 2316-915X

Licença Creative Commons
O trabalho Cadernos de Naturologia e Terapias Complementares está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/CNTC.