ONCOLOGIA INTEGRATIVA, UMA PRÁTICA EM CONSTRUÇÃO

Pamela Siegel, Nelson Filice de Barros

Resumo


O termo Oncologia Integrativa (OI) foi criado a partir da medicina integrativa, que se diferencia das medicinas alternativa e complementarpor buscar resultados baseados em evidências e considerar o paciente em sua totalidade. O objetivo deste artigo é apresentar os resultados de uma revisão integrativa da literatura realizada no bancode dados PubMed-MEDLINE usando a expressão Integrative Oncology.Foram encontrados 74 estudos dos quais 26 foram incluídos e 48 excluídos pelos critérios de inclusão/exclusão. Os resultados mostram que as terapias integrativas têm sido aplicadas para aliviar os sintomas do câncer, os efeitos colaterais de seus tratamentos ou de alguns de seus procedimentos. Conclui-se que a OI é uma prática em construção e que está sendo implementada principalmente nos EUA, podendo-se identificar uma expansão do modelo de cuidado pluralista e integrativo.

Palavras-chave


Oncologia Câncer Medicina alternativa e complementar Práticas Integrativas e Complementares Medicina Integrativa

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/cntc.v2e2201351-61

Cad. naturol. terap. complem. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, 2316-915X

Licença Creative Commons
O trabalho Cadernos de Naturologia e Terapias Complementares está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/CNTC.