Inquérito sorológico e de morbidade para arenavirose na população rural e periurbana da cidade de Turvo, SC

André Martins Teixeira, Gregório Wrublevski Pereira, Mirela Silva de Souza, Alixandre Dias Braga, Gilberto Sabino dos Santos Junior, Juliana Helena Chávez, Alex Martins Machado, Luiz Tadeu Moraes Figueiredo, Alessandra Abel Borges

Resumo


Os arenavírus são causadores de febres hemorrágicas em seres humanos, enquanto que, em roedores silvestres, causam infecção crônica e aparentemente assintomática, , na Europa, África, Américas e talvez outros continentes. A arenavirose é transmitida através de aerossóis contaminados com excretas ou secreções de roedores contaminados, ingestão e contato direto com esses animais. Um levantamento sorológico retrospectivo foi realizado em Turvo (SC), através de  pesquisa sobre anticorpos da classe IgG  por um ensaio imunoenzimático (ELISA) caseiro, utilizando, como antígeno, uma proteína N recombinante de arenavírus. As amostras positivas foram submetidas a um ensaio confirmatório por immunoblotting. Foi realizado, ainda, um inquérito de morbidade, buscando dados epidemiológicos e do histórico de doenças da população, na tentativa de correlacionar atividades realizadas pelos participantes a infecções por arenavírus. Foram colhidas amostras de 257 indivíduos com idade superior a 18 anos; sendo que a prevalência de anticorpos IgG anti-arenavírus, detectados por ELISA, foi de 0,77% (2/257). No entanto, os ensaios de immunoblotting não confirmaram esses resultados. Nossos resultados obtidos com o inquérito de morbidade demonstraram que a população de Turvo tem contato frequente com roedores e pratica situações de risco para a aquisição de zoonoses transmitidas por esses animais. Desse modo, medidas educativas e de incentivo à utilização de EPIs pela população desta região são altamente recomendáveis.


Texto completo:

PDF