Diálogos entre naturologia e antropologia da saúde

Ana Cláudia Moraes Barros Leite-Mor, Luana Maribele Wedekin

Resumo


A Naturologia Aplicada consolida-se como um novo campo de conhecimento para a Área da Saúde. Paralelamente às disciplinas até então vigentes nessa área, em grande parte alicerçadas no modelo biomédico, a Naturologia procura uma visão integral do ser humano, com base nas medicinas energéticas. O presente artigo propõe uma reflexão, a partir da Antropologia da Saúde, acerca das duas questões em que se constitui a Naturologia: primeiro, o diálogo que estabelece com as medicinas energéticas (Ayurveda, Xamânica e Chinesa), em vista de um embasamento teórico holístico e interdisciplinar; segundo, a sua práxis terapêutica de abordagem do indivíduo humano, cunhada pelo termo interagência. Nesse diálogo, busca-se aplicar reflexões da Antropologia da Saúde, tais como a relativização de saberes, as racionalidades médicas, entre outras; à algumas questões epistemológicas da Naturologia. Busca-se concomitantemente a contextualização da Naturologia dentro das ciências humanas, visto que essa é um campo interdisciplinar conjugando saberes de ambas as áreas do conhecimento, natural e humano. Conclui-se que manter o diálogo com as ciências humanas, em especial com a Antropologia, é de fundamental importância para a Naturologia, visto que esse campo do conhecimento procura uma visão integral do homem; e que a experiência de saúde e doença deve ser entendida como fenômeno humano, concomitantemente e para além do fenômeno natural-biológico.   


Palavras-chave


Naturologia, Antropologia da Saúde, Interagência

Texto completo:

PDF