Monitoria universitária: a experiência da disciplina de exercícios terapêuticos do Curso de Fisioterapia

Flavia Wagner, Inês Alessandra Xavier Lima, Bruna Lenfers Turnes

Resumo


O principal objetivo deste estudo foi contextualizar o Programa de Monitoria da Universidade do Sul de Santa Catarina e refletir sobre a experiência da monitoria na disciplina Exercícios Terapêuticos, pertencente ao Curso de Fisioterapia, situado na Unidade Acadêmica Saúde e Bem Estar Social, localizado no Campus da Grande Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. O quadro resultante indica que a universidade possui um Programa de Monitoria dinâmico e organizado, que é analisado constantemente de forma dialógica e coletiva, porém ainda possui o desafio de desburocratizar seu processo administrativo para fortalecer ainda mais o seu lado pedagógico. Necessita melhorar o acompanhamento e a reflexão sobre o processo de avaliação; de aproximar as atividades de monitoria da pesquisa e da extensão; de estimular professores e alunos a ampliarem o número de publicações científicas sobre o trabalho da monitoria. Nos resultados da análise sobre a experiência da disciplina, percebemos que o monitor desempenha atividades diversas que refletem positivamente em sua vida acadêmica, embora encontrem dificuldades, como: lidar com o desinteresse dos alunos em buscar o atendimento da monitoria que por vezes gera ociosidade no trabalho do monitor e a impossibilidade de assistir as aulas do professor devido a sobreposição dos horários de aula. Em contrapartida, percebemos o interesse do monitor em aprofundar o conhecimento sobre a disciplina e desenvolver habilidades para o futuro exercício da docência. Assim o monitor tem contribuído para realizar um atendimento individualizado e auxiliado a qualificar o processo da aprendizagem de outros alunos. Aprende a lidar com as pessoas e com diferentes situações, tornando-se mais ágil e perspicaz na hora de tomar decisões importantes. Porém, ainda é preciso avançar numa postura mais ativa dos monitores frente a ausência de monitorado para atendimento. Pois apesar de muitos alunos reconhecerem a importância da monitoria, no entanto acabam não frequentando. Por fim, compreendemos que esse estudo aponta temas para futuras pesquisas para investigar: os motivos que levaram os alunos a serem monitores; as atitudes ou cuidados em relação aos estudantes que dizem não querer aprender; as contribuições que a monitoria deu para sua formação profissional.

Palavras-chave


Monitoria; Ensino Superior; Fisioterapia

Texto completo:

PDF/A