Crítica e autorismo: uma análise do fazer cinema em Glauber e Godard

Gabriel Malinowskimailto, Wilson Oliveira Filho

Resumo


Este artigo tenta verificar os contextos e as bases que possibilitaram o aparecimento de um novo tipo de cinema, mais precisamente a Nouvelle Vague francesa e o Cinema Novo no Brasil. Como meio desta transformação a questão da crítica cinematográfica aparece como peça fundamental, seja pelo debate crítico que se gerou, seja pela sua própria natureza crítica. Então, a partir do final dos anos cinqüenta, novas concepções cinematográficas serão apresentadas, devido a um contexto de efervescência cultural, seja no Brasil, seja na França. Tal momento virá de encontro às aspirações dos principais cineastas que desses movimentos participaram, Jean-Luc Godard e Glauber Rocha. As conjecturas que os envolviam, como a questão do autor, serão investigadas juntamente com a vertente crítica, como meio de identificação e conformação de suas cinematografias.

Palavras-chave


Crítica; Cinema; Autor; Glauber e Godard

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v3e1200830-34

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.