O espaço da utopia: impulso utópico e mapeamento cognitivo em TAZ - Zona Autônoma Temporária

Marcelo Cizaurre Guirau

Resumo


Nesse estudo, propomos uma leitura do livro TAZ, escrito por Hakim Bey, à luz da noção de “impulso utópico” (nossas referências aqui são Ernst Bloch e Fredric Jameson) e do conceito de “mapeamento cognitivo”, desenvolvido por Jameson. A nossa análise mostrará que TAZ, enquanto construção utópica, apresenta uma série de lacunas e inconsistências, as quais orientarão nosso esforço cognitivo, uma vez que serão lidas como “sintomas instrutivos” da atual crise da imaginação histórica.

Palavras-chave


TAZ; Impulso utópico; Mapeamento cognitivo; Utopia

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v7e22012202-209

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.