Diante da perda do arquivo: reinvenções e narrativas da memória

Maria Ivone dos Santos

Resumo


O relato recente da artista Sophie Hemon sobre a perda total de seus arquivos de imagens nos lança diretamente na problemática relacionada à memória e à sua reconstrução. Partindo desta introdução circunstancial, observaremos a noção de edição, com base nas análises de práticas artísticas contemporâneas. A partir de Edward Ruscha, passando por Bernd e Hilla Becher, por Boltanski, Richter e Lara Almarcegui, buscaremos tecer uma reflexão sobre a constituição de arquivos na arte contemporânea e sobre a potência da articulação discursiva de certas imagens e de seus agenciamentos, seja em uma exposição, seja em uma publicação. Como estas práticas de re-singularização do mundo são devolvidas enquanto obra ao mundo e que outras questões trazem ao campo da arte e da cultura?

Palavras-chave


Arte contemporânea; Arquivo; Memória; Edição; Publicação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v0e02009163-176

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.