Releituras, paródia e intertextualidade em Braz, Quincas & Cia (2002), de Antonio Fernando Borges

Flávio Pereira Camargo

Resumo


Neste ensaio, temos como objetivo analisar os procedimentos e as estratégias narrativas utilizadas por Antonio Fernando Borges em Braz, Quincas & Cia (2002) em suas releituras da obra de Machado de Assis, por meio da intertextualidade, principalmente através da paródia como estratégia para o autoquestionamento estético, e as suas implicações tanto para a construção da narrativa quanto para sua recepção por parte do leitor.

Palavras-chave


Narrativa brasileira contemporânea; Metaficção; Personagem-escritor; Intertextualidade; Paródia

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v8e1201339-65

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.