Tal Brasil, qual romance? Literatura não é documento. Sobre Ana Cristina César e Flora Süssekind

Jorge Wolff

Resumo


Ana C. e Flora, convivas e colegas de bancos escolares no universo acadêmico carioca da década de 70, ambas com um pé na universidade e outro no jornalismo, são abordadas criticamente a partir desse convívio e de dois ensaios resultantes dessa safra, Literatura não é documento e Tal Brasil, qual romance?, colocando-os em choque ou contraste e tomando como proposição-chave a noção devida a um teórico do cinema americano segundo a qual toda narrativa fílmica – e por extensão toda narrativa – é um “documentário”.

Palavras-chave


Crítica brasileira; Neo-naturalismo; Neo-documentalismo; Flora Süssekind; Ana Cristina César; Literatura; Documentário

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v8e22013323-338

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.