O Édipo Romântico, da literatura ao cinema

Fausto Calaça, Célia Maria Domingues da Rocha Reis

Resumo


No presente artigo, realizamos uma análise comparada entre o romance de Honoré de Balzac, O lírio do vale (1836) e o filme de François Truffaut, Beijos proibidos (1968), tendo como perspectiva os temas desencantamento, nostalgia, romance de aprendizagem, Nouvelle vague e a noção de “Édipo romântico”, elaborada por Pierre Laforgue (2002). Colocamos em destaque o drama de Antoine Doinel, protagonista do filme, que re-apresenta um episódio semelhante ao da trajetória do jovem protagonista Félix de Vandenesse, do romance de Balzac.

Palavras-chave


Romantismo; Nouvelle vague; Édipo; François Truffaut; Honoré de Balzac

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v9e12014119-130

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.