SAMUEL BECKETT E A DESISTÊNCIA DIANTE DO TEMPO

Pedro Henrique Trindade Kalil Auad

Resumo


Este artigo é uma reflexão sobre o tempo, o teatro e o tempo do/no teatro, se apoiando na obra de Samuel Beckett, mais particularmente de seu texto A Última Gravação. Para tal análise, articularei o tempo da peça do autor irlandês com o conceito imagem-tempo do filósofo francês Gilles Deleuze. Nesse sentido, espera-se esmiuçar o texto de Beckett, seus métodos e história, para provocar uma reflexão incisiva sobre o tempo no teatro e a relação particular do sujeito com o tempo 


Palavras-chave


Samuel Beckett; Tempo no Teatro; Imagem-Tempo; Tempo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v9e22014311-322

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.