A MORTE CHEGA PARA TODOS: O RECRUDESCIMENTO DO CAPITALISMO NO FIM DO SÉCULO XX

Charles Albuquerque Ponte, Maria Bevenuta Sales de Andrade

Resumo


O objetivo desse trabalho é o de discutir a modificação discursiva do início da década de 1990, após a queda do bloco comunista e o surgimento de apologias à vitória do capitalismo, a partir da transformação ocorrida nas formas de representação dos monstros fílmicos. Para isso, apresenta-se, primeiramente, o discurso apologético ao capitalismo de Francis Fukuyama (1992), com a finalidade de se cotejar a maneira como o monstro Jason Vorhees, da série Sexta-feira 13 (1981; 1982; 1984), e da Morte em Premonição (2000), são elaborados, afetando também as reações de suas vítimas. A constatação principal do texto é que, ao final da análise, a ubiquidade, naturalidade e inevitabilidade do assassino da década de 1990 apresentam-se em consonância com a vitória do capital professada por Fukuyama, assinalando um derrotismo exacerbado. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v10e12015119-132

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.