O vivido e o não-vivido: memória e pós-colonialismo em O Retorno, de Dulce Maria Cardoso

Roberto Monaco, Gregório Foganholi Dantas

Resumo


O Retorno é um romance de Dulce Maria Cardoso ambientado no período da descolonização de Portugal, especialmente após a Guerra Colonial em Angola. A independência daquele país provocou a fuga de centenas de milhares de colonos, obrigados a retornarem à Metrópole (Lisboa). Neste cenário, a autora reconstrói a vida de uma família de “retornados”, a partir da ótica de um adolescente. O objetivo deste artigo é buscar compreender como as reflexões deste jovem, aliadas às memórias da autora – ela própria uma “retornada” – remetem ao sentimento de não-pertencimento e ilustram uma faceta impar do pós-colonialismo contemporâneo.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v12e22017271-282

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.