Afectos encarnados em O cântico dos cânticos, de Angela Lago

Luis Carlos Girão, Elizabeth da Penha Cardoso

Resumo


No presente artigo, propomos uma breve análise crítica do livro-imagem O cântico dos cânticos (1992), da brasileira Angela Lago, em busca de afectos encarnados em suas páginas duplas. Objetivando a realização de tal exercício, partiremos da metodologia proposta pelos franceses Gilles Deleuze e Félix Guattari (1992), quando discutem sobre perceptos e afectos na constituição de um pensamento filosófico; bem como mobilizaremos os escritos do também francês Georges Didi-Huberman (2012;2013), no referente aos efeitos presentes nas imagens encarnadas da história da arte. Como auxílio à leitura da narrativa pictórica nessa obra, buscamos a reflexão da brasileira Lucia Santaella (1993), em sua teoria peirceana da percepção, quanto à utilização de perceptos visuais na produção de sensações.

Palavras-chave


Afectos; Angela Lago; Literatura Infantil; Perceptos

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v13e22018297-306

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.