Os mortos do século XX: o passado em fragmentos e pequenas histórias

Dilma Beatriz Rocha Juliano

Resumo


Comprometido com o sentido político das narrativas sobre a história, este artigo aproxima Marcelo Masagão a Walter Benjamin, desejando uma leitura interpretativa do ‘filme-ensaio’ Nós que aqui estamos por vós esperamos (1998). Longe de pretender legendar a narrativa imagética de Masagão com os conceitos de Benjamin, a reflexão aqui proposta reafirma a tarefa de revirar os escombros do passado para pensar o presente. Considerando uma das obras cinematográficas brasileiras mais instigantes para pensar o papel político dos espectadores como cidadãos, discute-se o ‘filme-ensaio’ na perspectiva da experiência artística como forma de conhecimento.

Palavras-chave


Filme-ensaio; História cultural; Marcelo Masagão; Walter Benjamin

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v6e12011175-182

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.