Comunicando a dor em tempos de guerra: a poesia de Anna Akhmatova e de Krzysztof Kamil Baczyński

Olga Kempinska

Resumo


Em sua dicção poética eminentemente dialógica, Anna Akhmatova anuncia as discussões contemporâneas acerca da possibilidade da representação da experiência do trágico. Exacerbando o papel da função emotiva, elas propõem, de fato, a interiorização da antiga estrutura do drama trágico e sua transformação em uma articulação da figura do duplo. A cisão em dois de uma realidade por demais dolorosa, que a subjetividade humana procura revestir de características da irrealidade, tem como sua consequência a elaboração de um desdobramento dialógico. Alguns poemas do ciclo Réquiem, escrito nos anos 30, anunciam as poéticas do desdobramento manifestas na dicção de outros poetas preocupados com a necessidade de se encontrar formas da representação da experiência do sofrimento, tais como, por exemplo, Krzysztof Kamil Baczyński. Graças à elaboração da dicção poética que encena um jogo com o a dor e que insiste no rigor formal, a experiência do sofrimento torna-se relevante epistemologicamente.


Palavras-chave


Linguagem poética, distância estética, Anna Akhmatova, Krzysztof Kamil Baczyński

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v14e1201987-97

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.