Donato Ndongo e o exílio literário

Cátia Miriam Costa

Resumo


Donato Ndongo, escritor equatoguineense, retrata a situação no seu país, uma conjuntura ditatorial tornada estrutura política, social e cultural, em que o medo domina a sociedade e impede os intelectuais deste país de expressarem livremente o seu pensamento. Para compreender a obra do autor, urge entender a problemática subjacente à produção artística no seu país de origem e às condições de recepção no país onde escreve e dos públicos que poderão aceder ao seu trabalho. Estas assumem particular importância, quando o autor se vê forçado a publicar no exílio, no país outrora potência colonizadora, a Espanha, e a trabalhar para públicos abrangentes, inseridos em sistemas culturais distantes do equatoguinneense, portanto, desconhecedores das especificidades aí existentes.

Palavras-chave


Donato Ndongo; Exílio literário; Produção artística

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v6e22011503--523

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.