O punctum de Barthes e o estranho familiar em Freud

Adriana Stela Bassini Edral, José Isaías Venera

Resumo


Com este trabalho, elabora-se uma aproximação dos conceitos de estranho, em Sigmund Freud, e punctum, em Roland Barthes. O objetivo é mostrar que o ponto na imagem fotográfica recortado pelo olhar vem como demanda de um estranho familiar e por meio do qual o tempo é suspenso. Há algo da imagem que punge o olhar, abrindo uma fissura na representação. Articula-se também a angústia como afeto que não engana e que aponta para a verdade do sujeito. Afeto pelo qual pode ser mobilizada pelas vias do punctum, conceito desenvolvido no período de luto após a morte Henriette, mãe de Barthes.

 


Palavras-chave


Punctum; Estranho; Angústia; Objeto a.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rcc.v14e1201947-56

R. crít. cult., Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1980-6493

Licença Creative Commons
Revista Crítica Cultural de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Critica_Cultural/index está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.