Um safári de estratégia no Cerrado Mineiro: concepções de estratégia em micro, pequenas e médias empresas

João Paulo Seno, Lucas Borges Kappel, Marlos Vinícius Ramos, Jacquelaine Florindo Borges

Resumo


Nós analisamos as concepções de estratégia de empresários que participam do Programa Empreender, desenvolvido pela Associação Comercial e Industrial de Uberlândia - ACIUB. O objetivo foi identificar quais escolas (MINTZBERG; AHLSTRAND; LAMPEL, 2000) fundamentam as concepções, visto que o programa busca formar agentes estratégicos para conquistar mercados e atuar no desenvolvimento da cidade e da região. Para a coleta de dados, empregamos a observação direta extensiva por meio de formulário e o método de análise de conteúdo. Os resultados mostram que a atuação ampla e transformadora que se espera desses agentes pode ser limitada por um imaginário dominado pela escola do planejamento e a concepção da estratégia é deliberada como plano.

 


Palavras-chave


Estrategistas; Estratégia empresarial; Micro e pequenas empresas.

Texto completo:

PDF/A

Referências


AMORIM, M. A. Clusters como estratégia de desenvolvimento industrial no Ceará. Fortaleza: Banco do Nordeste, 1998.

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE UBERLÂNDIA. Programa empreender. 2010. Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BAUER, M. W. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In. BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2010. p. 189-217.

BAUER, M. W.; GASKELL, G.; ALLUM, N. C. Qualidade, quantidade e interesses do conhecimento. In. BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Editora Vozes, 2010. p. 17-36.

BEAVER, G.; PRINCE, C. Management, strategy and policy in the UK small business sector: a critical review. Journal of Small Business and Enterprise Development, v. 11, n. 1, p. 34-49, 2004.

BRASIL. Lei Complementar N° 123, de 14 de dezembro de 2006. Institui o Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte... Disponível em: . Acesso em: 05 jun. 2013.

CARSRUD, A.; BRÄNNBACK, M. Entrepreneurial motivations: what do we still need to know? Journal of Small business Management, v. 49, n. 1, p. 9-26, 2011.

CHER, R. A gerência das pequenas e médias empresas. São Paulo: Maltese, 1990.

CONFEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES COMERCIAS DO BRASIL. Portal empreender. 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2014.

CORNELISSEN, J. P.; HOLT, R.; ZUNDEL, M. The role of analogy and metaphor in the framing and legitimization of strategic change. Organization Studies, v. 32, n. 12, p. 1701-1716, 2011.

GIMENEZ, F. A. P. Escolhas estratégicas e estilos cognitivos: um estudo com pequenas empresas. Revista de Administração Contemporânea, v.2, n.1, p. 27-45, 1998.

GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR. Empreendedorismo no Brasil: 2012. Curitiba: IBQP, 2012. Disponível em:

Empreendedorismo%20no%20Brasil%202012.pdf>. Acesso em: 02 ago. 2014.

GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR. Empreendedorismo no Brasil: 2013. Curitiba: IBQP, 2013. Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2014.

GORTON, M. Overcoming the structure-agency divide in small business research, International Journal of Entrepreneurial Behaviour and Research, v. 6 n.5, p.276-293, 2000.

JONES, C.; SPICER; A. Unmasking the entrepreneur. Cheltenham, UK; Northamppton, MA, ESA: Edward Elgar, 2009.

KELLE, U. Análise com auxílio de computador: codificação e indexação. In. BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Editora Vozes, 2010. p. 393-415.

KRONBERGER, N.; WAGNER, W. Palavras-chave em contexto: análise estatística de textos]. In. BAUER, M. W.; GASKELL, G. (Org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Editora Vozes, 2010. p. 416-442.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Atlas, 2010.

LEMES, A. B. Jr.; PISA, B. J. Administrando micro e pequenas empresas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

LIBERMAN-YACONI, L.; HOOPER, T.; HUTCHINGS, K. Toward a model of understanding strategic decision-making in micro-firms: Exploring the Australian information technology sector. Journal of Small business Management, v. 48, n. 1, p. 70-95, 2010.

MAJUMDAR, S. Modelling growth strategy in small entrepreneurial business organisations. The Journal of Entrepreneurship, v. 17, n. 2, p. 157-168, 2008.

McCARTHY, P. T.; RIORDAN C. O'.; GRIFFIN, R. The other end of entrepreneurship: a narrative study of insolvency practice in Ireland. International Journal of Entrepreneurial Behaviour & Research, v. 20, n. 2, p. 173-192, 2014.

MINTZBERG, H. A criação artesanal da estratégia In: MONTGOMERY, C. A.; PORTER, M. E. Estratégia. Rio de Janeiro: Campus, 1998. p. 419-440.

MINTZBERG, H. The design school: reconsidering the basic premises of strategic management. Strategic Management Journal, v.11, p.171-195, 1990.

MINTZBERG, H. The strategy concept I: five Ps for strategy. California Management Review, v.30, n.1, p.11-24, 1987.

MINTZBERG, H. The structuring of organizations. Englewood Cliffs: Prentice-Hall, 1979.

MINTZBERG, H. WATERS, J. A. Of Strategies, deliberate and emergent. Strategic Management Journal, n.6, 257-27, 1985.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND, B.; LAMPEL, J. Safári da estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MINTZBERG, H; QUINN, J. B. O processo da estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2001.

MONTGOMERY, C. A. O estrategista. Rio de Janeiro: Sextante, 2012.

MORRIS, M. H.; KOÇAK, A.; ÖZER, A. Coopetition as a small business strategy: implications for performance. Journal of Small Business Strategy, v. 18, n. 1, p. 35-55, 2007.

NASCIMENTO, M.; LIMA, C. R. M.; LIMA, M. A..; ENSSLIN, E. R. Fatores determinantes da mortalidade de micro e pequenas empresas da região metropolitana de Florianópolis sobre a ótica do contador. Revista Eletrônica de Estratégia e Negócios, Florianópolis, v. 6, n. 2, p. 244-283, 2013.

NONAKA, H. T.; SOUZA, J. P. Formulação e formação de estratégias: o caso de micro e pequenas empresas de confecção e vestuário na cidade de Londrina - PR. Qualit@as Revista Eletrônica, v. 12, n. 2, 14 p., 2011.

POWELL, T. C. Strategic management and the person. Strategic Organization, v. 12, n.3, p. 200-207, 2014.

SANTOS, L. L. da S.; ALVES, R. C.; ALMEIDA, K. N. Formação de estratégia nas micro e pequenas empresas: um estudo no centro-oeste mineiro. Revista de Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, v. 47, n. 4, p. 59-73, 2007.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS − SP. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do estado de São Paulo. Causa Mortis (2014). Disponível em:

/institucional/pesquisas-sobre-micro-e-pequenas-empresas-paulistas/mortalidade-das-empresas/12945-causa-mortis>. Acesso em: 02 ago. 2014.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. As MPE na economia. Estudos e Pesquisas. 2000. Disponível em: < http://sebraesp.com.br>. Acesso em: 02 ago. 2014.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Fatores condicionantes e taxas de mortalidade de empresas no Brasil (2004). Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2014.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Fatores condicionantes e taxa de mortalidade de empresas no Brasil. Relatório de Pesquisa. Brasília: Sebrae, 2011. Disponível em . Acesso em: 02 ago. 2014.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Instituto Ethos. Indicadores Ethos - Sebrae de Responsabilidade Social Empresarial para Micro e Pequenas Empresas. São Paulo. 2012.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Sobrevivência das empresas no Brasil (2013). Disponível em: . Acesso em: 02 ago. 2014.

SILVERMAN, D. Interpretação de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

TAN, J.; FISCHER, E.; MITCHELL, R,; PHAN, P. At the center of the action: Innovation and technology strategy research in the small business setting. Journal of Small business Management, v. 47, n. 3, p. 233-262, 2009.

VERDUIJN; K.; DEY, P.; ESSERS, C. Emancipation and/or oppression? Conceptualizing dimensions of criticality in entrepreneurship studies. International Journal of Entrepreneurial Behaviour & Research, v. 20, n. 2, p. 98-107, 2014.

WIKLUND, J.; SHEPHERD, D. Entrepreneurial orientation and small business performance: a configurational approach. Journal of Business Venturing, v. 20, p. 71-91, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v7e320144-29

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .