Bem-estar no trabalho e políticas de gestão de pessoas em uma organização sem fins lucrativos

Jessyca Souza, Ivano Ribeiro, Geysler Rogis Flor Bertolini

Resumo


Esta pesquisa investigou as relações entre bem-estar no trabalho e as políticas de gestão de pessoas (GP) em uma entidade sem fins lucrativos no estado do Paraná - Brasil. Os dados foram submetidos a análises descritivas e de correlações, onde se verificou que o bem-estar no trabalho é moderado, e também que os fatores de políticas de GP possuem uma percepção que varia de moderada a alta, e o fator condições de trabalho foi o que apresentou os escores mais elevados. Em relação às correlações, houve associações moderadas entre os fatores do constructo de bem-estar no trabalho e fortes correlações entre os fatores relacionados às políticas de GP. Contudo, a única correlação entre políticas de GP e bem-estar no trabalho foi observada entre os fatores afeto negativo e condição de trabalho.


Palavras-chave


Gestão estratégica de pessoas; Políticas de gestão de pessoas; Bem-estar no trabalho.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ABDULLAH, H. Delineating and charting the systematic approach of HRD process.The Journal of International Social Research, v. 03, n.11, p.11-22, 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2013.

ALBUQUERQUE, A. S.; TRÓCOLLI, B. T. Desenvolvimento de uma escala de bem-estar subjetivo. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 20, n. 2, p. 153-164, 2004. Disponível em: . Acesso em: 16 fev. 2013.

BAPTISTE, N. R. Tightening the link between employee wellbeing at work and performance: a new dimension for HRM. Management Decision, v. 46, n. 2, p. 284-309, 2008. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2014.

BENEVIDES-PEREIRA, A. M. T. Burnout: quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.

CARDOSO, L. R. Avaliando sistemas de remuneração baseados em habilidades e competências: a visão dos profissionais de gestão de pessoas. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 8, n. 21, p. 13-23, 2006. Disponível em: . Acesso em: 19 dez. 2012.

CSIKSZENTMIHALYI, M. Gestão qualificada. Porto Alegre: Artmed, 2004.

DEVANNA, M. A; FOMBRUN, C. J.; TICHY, N. M. A Framework for Strategic Human Resource Management. In: FOMBRUN, C. J., TICHY, N. M.; DEVANNA, M. A. (Eds.) Strategic Human Resource Management. New York: Wiley, 1984.

DIENER, E. Subjective well-being: the science of happiness and a proposal for a national index. American Psychologist, v. 55, n. 1, p. 34-43, 2000. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2012.

DIENER, E.; SUH, E. M.; LUCAS, R. E.; SMITH, H. L. Subjective well-being: three decades of progress. Psychological Bulletin, v. 125, n. 2, p. 276-302, 1999. Disponível em: . Acesso em: 08 fev. 2013.

DOROU, P. F.; MEDEIROS, C.; SOUZA, J. A.; DANDOLINI. Barreiras e facilitadores para a geração de ideias. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios. Florianópolis, v. 6, n. 3, 2013. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2014.

DUTRA, J. S.; HIPÓLITO, J. A. M.; SILVA, C. M. Gestão de pessoas por competências: o caso de uma empresa do setor de telecomunicações. Revista de Administração Contemporânea, v. 4, n. 1, p. 161-176, 2000. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2012.

FERREIRA, M. C.; ALVES, L.; TOSTES, N. Gestão de qualidade de vida no trabalho (QVT) no serviço público federal: o descompasso entre problemas e práticas gerenciais. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Brasília, v. 25, n. 3, 2009. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2013.

FIUZA G. D. Desenvolvimento e validação da escala de percepção de políticas de gestão de pessoas (EPPGP). Revista de Administração Mackenzie. São Paulo, v. 9, n. 6, 2008. Disponível em: . Acesso em: 09 nov. 2012.

FIUZA G. D. Políticas de gestão de pessoas, valores pessoais e justiça organizacional. RAM, Revista de Administração Mackenzie. São Paulo, v. 11, n. 5, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 out. 2012.

FRANCIS, L. J. Happiness is a thing called stable extraversion: a further examination of the relationship between the Oxford Happiness Inventory and Eysenck's dimensional model of personality and gender. Personalityand Individual Differences, v. 26, n. 1, p. 5-11, 1999. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2013.

FREIRE, O. N.; FERREIRA, M. C. "A empresa não perde nada, só a gente": carga de trabalho do frentista e a prática da rotatividade sistemática. II Seminário Nacional de Psicologia e Direitos Humanos. Conselho Federal de Psicologia, Brasília, DF. 2000. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2013.

FREIRE, T.; ZENHAS, F.; TAVARES, D.; IGLESIAS, C. Felicidade Hedónica e Eudaimónica: um estudo com adolescentes portugueses. Análise Psicológica. Lisboa, v. 31, n. 4, p. 329-342, 2013. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2014.

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HORTA, P.; DEMO, G.; ROURE, P. Políticas de gestão de pessoas, confiança e bem-estar: estudo em uma multinacional. Revista de Administração Contemporânea, v. 16, n. 4, 2012. Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2014.

LUCAS, R. E.; DIENER, E.; SUH, E. Discriminant validity of well-being measures. Journal of Personality and Social Psychology, v. 71, n. 3, p. 616-28, 1996.Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2013.

MARÔCO, J. Análise estatística com a utilização do SPSS. 5ª. ed. Report Number. Pero Pinheiro, 2011.

MOURÃO, L. Oportunidades de qualificação profissional no Brasil: reflexões a partir de um panorama quantitativo. Revista de Administração Contemporânea, v.13, n.1, p.136-153, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2014.

MYERS, D. G. The funds, friends, and faith of happy people. American Psychologist, v. 55, p. 56-67, 2000. Disponível em: . Acesso em: 03 mar. 2013.

NASCIMENTO, L., P.; CARVALHO, A., V. Gestão Estratégica de Pessoas: Sistema, remuneração e planejamento. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2006.

OLIVEIRA-CASTRO, G. A.; PILATI, R.; BORGES-ANDRADE, J. E. Percepção de suporte organizacional: desenvolvimento e validação de um questionário. Revista de Administração Contemporânea, v. 3, n. 2, p. 29-51, 1999. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2013.

OLIVEIRA, P.; LIMONGI-FRANÇA, C. Avaliação da gestão de programas de qualidade de vida no trabalho. RAE Eletrônica, v. 4, n. 1, p. 1-21, 2005. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2013.

OSTROM, T. M.The relationship between affective, behavioral and cognitive components of attitude. Journal of Experimental Psychology, v. 15, n. 1, p. 12-30, 1969. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2013.

OTTA, E.; FIQUER, J. T. Bem-estar subjetivo e regulação de emoções. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 10, n. 15, p. 144-149, 2004. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2014.

PASCHOAL T.; TAMAYO A. Construção e validação da Escala de bem-estar no trabalho, Avaliação Psicológica. v. 7, n. 1, p. 11-22, 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2013.

PASCHOAL T.; TORRES C; PORTO J. Felicidade no trabalho: Relações com suporte organizacional e suporte pessoal. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 6, p. 1054-1072, 2010. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2013.

PAZ, M. G. T. Poder e saúde organizacional. In: TAMAYO, A. (Org.). Cultura e saúde nas organizações. Porto Alegre: Artmed Bookman, 2004.

PORTO, J. B.; TAMAYO, A. Escala de valores relativos ao trabalho: EVT. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 19, n. 2, 2003. Disponível em: . Acesso em: 02 fev. 2013.

RABELO, D. F.; NERI, A. L. Bem-estar subjetivo e senso de ajustamento psicológico em idosos que sofreram acidente vascular cerebral: uma revisão. Estudos de Psicologia, v. 11, n. 2, p. 169–177, 2006. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2013.

RIBEIRO, I.; ROGLIO, K. D.; PÉCORA JR, J. E. Instrumento para identificação das relações entre estratégias competitivas e práticas de gestão de pessoas. Revista Ciências Sociais em Perspectiva, v. 12, n. 22, p. 1-24, 2013. Disponível em: . Acesso em: 14 out. 2013.

RYFF, C. D. Hapiness is everything, or is it? Explorations on the meaning of psychological well-being. Journal of Personality and Social Psychology, v. 57, n. 6, p. 1069-1081, 1989.

RYFF, C. D.; KEYES, C. L. M. Thes tructure of psychological well-being revisited. Journal of Personality and Social Psychology, v. 69, n. 4, p. 719-727, 1995.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. On happiness and human potentials: A review of research on hedonic and eudaimonic well being. Annual Review of Psychology, v. 52, p. 141-166, 2001.

RYNES, S., L.; GERHART, B.; MINETTE, K. A. The importance of pay in employee motivation: discrepancies between what people say and what they do. Human Resource Management, v. 43, n. 4, p. 381-394, 2004.

SALAS, E.; TANNENBAUM, S. I.; KRAIGER, KURT.; SMITH-JENTSCH, K. A. The science of training and development in organizations: what matters in practice. Psychological Science in the Public Interest, v.13, n. 2, p. 74-101, 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2014.

SELIGMAN, M. E. P.; CSIKSZENTMIHALYI, M. Positive psychology: an introduction. American Psychologist. v. 55, n. 1, p. 5-14, 2000.

SIQUEIRA, M.; PADOVAM, V. A. R. Bases teóricas de bem-estar subjetivo, bem estar psicológico e bem-estar no trabalho. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 24, n. 2, 2008. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2012.

SUNG, S. Y.; CHOI, J. N. Do organizations spend wisely on employees? Effects of training and development investments on learning and innovation in organizations. Journal of Organizational Behavior, 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2014.

TAMAYO, A. Introdução. In: A. TAMAYO, A. (Org.), Cultura e saúde nas organizações. Porto Alegre: Artmed, 2004.

VILLAS-BOAS, A. L.; BATISTA, L. G. As Metodologias de Remuneração Variável Adotadas Pelas Empresas Brasileiras e Sua Influência na Mudança Organizacional. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, v. 3, n. 1, 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2013.

WALTON, J. Strategic human resource development. London: Prentice Hall, 1999.

WOOD JR., T.; PICARELLI-FILHO, V. Remuneração estratégica: a nova vantagem competitiva. São Paulo: Atlas. 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v7e220143-22

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .