Influência da internacionalização das empresas brasileiras na criação de valor

Jonas Fernando Petry, Maria Margarete Baccin Brizolla, Harlan de Azevedo Herculano, Nelson Hein

Resumo


O estudo objetiva analisar a relação entre o nível de internacionalização das empresas brasileiras e a criação de valor para seus acionistas. Para tanto, foi realizada uma pesquisa descritiva, sendo conduzida por meio da coleta de variáveis, as quais foram utilizadas na aplicação do modelo; tais variáveis são provenientes de empresas listadas na BM&FBovespa, e os dados coletados na revista Valor Multinacionais. A amostra é considerada intencional não probabilística, e constitui-se a partir da identificação das 26 empresas mais internacionalizadas no ano de 2010 listadas na BM&FBovespa. Como neste estudo existe o item de internacionalização como variável dependente e os subitens como variáveis independentes, avalia-se que a regressão simples é o melhor modelo para analisar o objeto do estudo através do software SPSS. O resultado indica que, quanto maior o índice de internacionalização das empresas brasileiras, maior a criação de valor para o acionista e o aumento na lucratividade.



Palavras-chave


Internacionalização; Estrutura de capital; Risco; Criação de valor para os acionistas.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ADEGBESAN, J. A. On the origins of competitive advantage: strategic factor markets and heterogeneous resource complementarity. Academy of Management Review, v. 34, n. 3, p. 463-475, 2009.

ADNER, R; ZEMSKY, P. A demand-based perspective on sustainable competitive advantage. Strategic Management Journal, v. 27, n. 3, p. 215-239, 2006.

ALEM, A. C.; CAVALCANTI, C. E. O BNDES e o apoio à internacionalização das empresas brasileiras: algumas reflexões. Revista do BNDES, v. 12, n. 24, p. 43-76, 2005.

ANDERSEN, O. On the internationalization process of firms: a critical analysis. Journal of international business studies, p. 209-231, 1993.

ANDRADE, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2006.

ARRUDA, C.A.; GOULART, L.; BRASIL, H.V. Estratégias de Internacionalização: Competitividade e Incrementalismo. In: Fundação Dom Cabral. Internacionalização de Empresas Brasileiras. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1996.

ASSAF NETO, A. Finanças Corporativas e Valor. 5.ed. Atlas: São Paulo, 2010.

BANSAL, P. e ROTH, K., Why Companies Go Green: a model of ecological responsiveness. Strategic Management Journal, v. 43, p. 717 -738, 2000.

BEAMISH, P. W. The internationalisation process of smaller Ontario firms: A research Agenda, in RUGMAN, A.M. (ed.). Research in global strategic management. Greenwich: JAI Press, p. 77-92, 1990.

BIDDLE, G.C. et al. Does EVA beat earnings? Evidence on associations with stock returns and firm values (February 1998), available at SSRN. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2013.

BLYLER, M; COFF, R. W. Dynamic capabilities, social capital, and rent appropriation: ties that split pies. Strategic Management Journal, v. 24, n. 7, p. 677-686, 2003.

BONACCORSI, A. On the relationship between firm size and export intensity. Journal of International Business Studies, Columbia, v. 23, n. 4, p. 605-635, Fourth Quarter, 1992.

BYRNES, N.; D. HENRY. 2001. Confused about earnings?. Business Week Online, 26 November, Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2013.

CARLSON, S. International business research. Uppsala: Acta Universitatis Upsaliensis, 1966.

CARLSON, S. Market information: Selling intensity and the dynamics of international economic integration. De Economist, v. 122, n. 6, p. 503-520, 1974.

CARMONA, C. U.de M., Org. Finanças Corporativas e Mercados. São Paulo: Atlas, 2009.

CHIAVEGATTI, D.; TUROLLA, F.A. Risco no Modelo de Internacionalização de Uppsala. Revista Organizações em Contexto-online, v. 7, n. 13, p. 129-156, 2011.

CHOY, W.K.W. Globalization and workforce diversity: HRM implications for multinational corporations in Singapore. Singapore Management Review, 2007.

COELHO, D. B.; ROCHA, C. P. Políticas Públicas de Apoio à Internacionalização e o Papel das Agências de Promoção das Exportações e Investimentos: o caso UK Trade &Investimento Brasil. XV SEMEAD, Seminários em Administração. ISSN 2177-3866, outubro de 2012.Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2013.

COLUMBIA LAW SCHOOL. New study ranks Brasil’s multinational corporations. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2010. New York, 2007.

CORRAR, L. J. et al. Análise multivariada: para os cursos de administração, ciências contábeis e economia. São Paulo: Atlas, 2007.

CORRÊA, D.; LIMA, G. T. O comportamento recente do investimento direto brasileiro no exterior em perspectiva. Revista de Economia Política, v. 28, n. 2, p. 249-268, 2008.

DAL-SOTO, F. O processo de internacionalização de empresas brasileiras do setor de componentes para couro, calçados e artefatos. In: Workshop Internacionalização de empresas–Desafios e oportunidades para países emergentes. 2006.

DIB, L. A.; CARNEIRO, J. Avaliação comparativa do escopo descritivo e explanatório dos principais modelos de internacionalização de empresas. Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, v. 30, 2006.

DUNNING, J. H.; LUNDAN, S. M. Multinational enterprises and the global economy. Cheltenham: Edward Elgar Publishing, 2008.

FARNDALE, E. BREWSTER, C. E POUTSMA, E. Coordinated vs. Liberal market HRM: the impact of institutionalization on multinational firms. The international journal of human resource management,v.19, n.11. 2008.

FERNÁNDEZ, P. Creación de valor para los accionistas. Barcelona: Gestión 2000.

FLEURY, M.T.L.; FLEURY, A. Brasil e China: caminhos cruzados em seus processos de internacionalização. In: FERNÁNDEZ, P. Internacionalização e os países emergentes. São Paulo: Atlas, 2007.

FORSGREN, M. The concept of learning in the Uppsala internationalization process model: a critical review. International business review, v. 11, n. 3, p. 257-277, 2002.

GANKEMA, H. G. J et al. The internationalization process of small and medium-sized enterprises: an evaluation of stage theory. Journal of Small Business Management, v. 38, n. 4, p. 15-27, 2000.

GEMSER, G.; BRAND, M. J.; SORGE, A. Exploring the internationalization process of small businesses: a study of Dutch old and new economy firms. MIR: Management International Review, p. 127-150, 2004.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2007.

GRIFFITH, J. M. (2004), The True Value of EVA. Journal of Applied Finance, v. 14, Issue 2, Fall/Winter 2004.

HAIR, Jr. J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.; BLACK, W. C. Análise multivariada de dados. 5.ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HESSELS, J.; PARKER, Si, C. Constraints, internationalization and growth: A cross-country analysis of European SMEs. Journal of World Business, 2012.

IEDI, Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial. O Investimento Estrangeiro na Economia Brasileira e o Investimento de Empresas Brasileiras no Exterior. IEDI-Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial, fevereiro de 2003. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2013.

JOHANSON, J.; VAHLNE, J. The internationalization process of the firm-a model of knowledge development and increasing foreign market commitments. Journal of international business studies, v. 8, n. 1, p. 23-32, 1977.

JORION, P. Value at risk. Nova York: Wiley, 1997.

KAMAKURA, W. A. et al. A dynamic perspective to the internationalization of small-medium enterprises. Journal of the Academy of Marketing Science, v. 40, n. 2, p. 236-251, 2012.

KRAUS, P. G. O processo de internacionalização das empresas: o caso brasileiro. Revista de Negócios. Blumenau: FURB, v. 11, n. 2, 2006.

LACERDA, A. C. de. Internacionalização das empresas brasileiras. Revista Terra Maganize Latino América, 2006.

LAGHZAOUI, S. Internationalization of SME: A reading in terms of resources and competencies. GREFI, University of Paul Cézanne, Aix Marseille III, France. 2006. Disponível em: . Acesso em: 27 mar. 2013.

LEONIDOU, L. C.; KATSIKEAS, C. S. The export development process: an integrative review of empirical models. Journal of international business studies, p. 517-551, 1996.

LEPAK, D. P et al. Value creation and value capture: a multilevel perspective. Academy of Management Review, v. 32, n. 1, p. 180-194, 2007.

LI, L. et al. Internationalization process of small and medium-sized enterprises: toward a hybrid model of experiential learning and planning. Management International Review, p. 93-116, 2004.

MADSEN, T.K.; SERVAIS, P. The internationalization of born globals: an evolutionary process? International Business Review, v. 6, n. 6, p. 561-583, 1997.

MAIA, G. M. da; LIMA, G. M. Internationalization strategies of Brazilian companies in the textile industry.2011.Dissertation in International Marketing. School of Business and Engineering. Halmstad University.48f. 2011.

MARTINS, G. M.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MDIC, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Termo de Referência: Internacionalização de Empresas Brasileiras. Brasília, 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2013.

MEINERZ, P. R. Risco e Retorno na Internacionalização: o caso das empresas brasileiras no Mercosul. 1999. 189f. Dissertação de mestrado – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

PARKER, B. In: CLEGG, S.R et al. Handbook de Estudos Organizacionais. v. 1. São Paulo: Atlas, 2004.

RAMAMURTI, R. Why study emerging-market multinational? In: RAMAMURTI, R; ROBERTSON, R. Global modernities. Londres. Sage, 1995.

RICEMAN, S. S.; CAHAN S. F.; LAL, M. Do Managers Perform Better Under EVA Bonus Schemes?. European Accounting Review, v.11, n. 3. 2002.

ROCHA, A. da. (Org.). A internacionalização das empresas brasileiras: estudos de gestão internacional. Rio de Janeiro: Mauad, 2002.

ROCHER, G. La mundial is ation: unphé no mène pluriel. Unesociété-monde, p. 17-32, 2001.

RUAS, R.L. Gestão por competências: uma contribuição à perspectiva estratégica da gestão de pessoas. XXII ENANPAD: Atibaia, 2003.

SCHALTEGGER, S. et al. Business Cases for Sustainability: the role of business model innovation for corporate sustainability, International Journal of Innovation and Sustainability Development, 6(2), 2012.

SHAFMAN, M. P.; FERNANDO, C. S., Environmental Risk Management and the Cost of Capital, Strategic Management Journal, 2008, v. 29, p. 568 -592.

STEWART, G. B. How to fix accounting measure and report economic profit, Journal of Applied Corporate Finance, n. 15, v. 3, p. 63–82.

TAKANO, Y. Estudo do processo de internacionalização de uma empresa multinacional brasileira do ramo de integração de sistemas de tecnologia da informação e comunicação. Dissertação de mestrado – Escola de Administração de Empresas de São Paulo.

XAVIER, A. N.; TUROLLA, F. A. A internacionalização da empresa brasileira: a literatura e alguns fatos estilizados. Anais do IV Ciclo de Debates EITT, do Grupo de Estudos em Economia Industrial, Trabalho e Tecnologia do Programa de Estudos Pós-graduados em Economia Política da PUC- SP. São Paulo, v. 24, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v7e12014p.158-180

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .