TRANSFERÊNCIA TECNOLÓGICA PARA AMPLIAÇÃO DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS: CASO EUROLLS

Francisco Américo Cassano, Juliana Ribeiro, Karina Paiva Galvão, Fernanda Lebrao Cesar, Monique Rigo Panazzolo

Resumo


A estreita correlação entre o comércio exterior e os investimentos externos diretos torna a internacionalização de empresas uma necessidade para que estas possam expandir sua competitividade e enfrentar a concorrência internacional. Diante deste atual cenário, o intenso uso da transferência tecnológica, principalmente no âmbito matriz e subsidiária, passa a ser um instrumento de grande alavancagem de negócios. Sendo assim, o objetivo geral deste estudo foi analisar de que maneira a transferência tecnológica influenciou o processo de internacionalização da empresa Eurolls. O tipo de pesquisa foi descritivo e qualitativo, com tratamento dos dados baseado na análise de conteúdo. Os resultados obtidos permitiram concluir que, embora o processo sequencial de Uppsala seja um aspecto importante para obtenção de conhecimento sobre o mercado local, este processo não foi considerado pela empresa e a transferência tecnológica foi de fundamental importância para o investimento direto no Brasil. 

Palavras-chave


Internacionalização; Transferência Tecnológica; Relação Matriz Subsidiária.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARNETT, D. B.; MADHAVARAM, S. Multinational enterprise competition: grounding the eclectic paradigm of foreign production in resource-advantage theory. Journal of Business & Industrial Marketing, v. 27, nº 7, p. 572-581, 2012. Disponível em: http://search.proquest.com/docview/1033821488/fulltextPDF/F6DBC29853624D6BPQ/1?accountid=12217. Acesso em: 29 mai 2015.

ASSAFIM, J. M. de L. A transferência de tecnologia no Brasil. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BRUHN, N. C. P.; CALEGARIO, C. L. L.; PEREIRA, M. C. Investimento Direto Estrangeiro e Transbordamentos no Brasil: Uma Análise da Presença Estrangeira em Balanços Consolidados. Revista de Globalización, Competitividad y Gobernabilidad, v. 9, nº 1, p. 97-117, 2015. Disponível em: http://search.proquest.com/docview/1680764945/fulltextPDF/983CDEC9CDC749D0PQ/36?accountid=12217. Acesso em: 29 mai 2015.

CYRINO, Á.; PENIDO, E. Benefícios, riscos e resultados do processo de internacionalização de empresas brasileiras. In: ALMEIDA, A. (Org.). Internacionalização de empresas brasileiras: perspectivas e riscos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. p. 79-116.

DUNNING, J. H. Global capitalism, FDI and competitiveness. V. II. Cheltenham: Edward Elgar, 2002.

DUNNING, J. H. Theories and paradigms of international business activity. V. II. Cheltenham: Edward Elgar, 2002a.

EUROLLS S.P.A (EUROLLS). Desenvolvido pela empresa Eurolls S.p.A. Apresenta informações referente aos produtos, serviços, assistência técnica, ramo de atuação, endereço de sua matriz e filiais, bem como o perfil da empresa. Disponível em: . Acesso em: 29 mai 2015.

GALLON, S.; ANTUNES, E. D. Processo de expatriação: um modelo com fases e práticas. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 8, n. 2, p. 54 – 85, 2015.

HEMAIS, C. A.; HILAL, A. O processo de internacionalização da firma segundo a Escola Nórdica. In: ROCHA, A. da (Org.). Internacionalização das empresas brasileiras: estudos de gestão internacional. Rio de Janeiro: Mauad, 2002. p. 15-40.

JOHANSON, J.; VAHLNE, J. The internationalization process of the firm: a model of knowledge development and increasing foreign market commitments. Journal of International Business Studies, v. 8, p. 23-32, 1977. Disponível em: http://www.jstor.org/discover/10.2307/254397?uid=3737664&uid=2134&uid=2&uid=70&uid=4&sid=21100825820381. Acesso em: 29 mai 2015.

KUNDU, N; BHAR, C.; PANDURANGAN, V. Managing Technology Transfer: An Analysis of Intrinsic Factors. South Asian Journal of Management, v. 22, nº 3, p. 69-95, 2015. Disponível em: http://search.proquest.com/docview/1732041523/fulltextPDF/5CAFB454E543490DPQ/6?accountid=12217. Acesso em: 30 nov 2015.

MACLENNAN, M. L. F.; PICCIOLI, M. L. V; YAMASAKI, V. E. I. Aplicação de tipologias de expansão Internacional: classificação das vinte empresas brasileiras mais transnacionalizadas. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 7, n. 1, p. p.56-81, 2014.

MOZZATO, A. R.; GRZYBOVSKI, D. Análise de Conteúdo como Técnica de Análise de Dados Qualitativos no Campo da Administração: Potencial e Desafios. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, nº 4, p. 731-747, 2011. Disponível em: http://search.proquest.com/docview/1449594545/fulltextPDF/D72BCDCA588146C4PQ/2?accountid=12217. Acesso em: 30 nov 2015.

OLIVEIRA JUNIOR, M. M.; BOEHE, D.M.; BORINI, F.M. Estratégia e inovação em corporações multinacionais: a transformação das subsidiárias brasileiras. São Paulo: Saraiva, 2009.

PENROSE, E. A teoria do crescimento da firma. São Paulo: Unicamp, 2006.

PRAHALAD, C.K.; KRISHNAN, M.S. A nova era da inovação. São Paulo: Campus, 2008.

RICUPERO, R.; BARRETO, F. M. A importância do investimento direto estrangeiro do Brasil no exterior para o desenvolvimento socioeconômico do país. In: ALMEIDA, A. (Org.). Internacionalização de empresas brasileiras. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. p. 1-36.

ROTH, K.; MORRISON, A. Implementing global strategy: Characteristics of global subsidiary mandates. Journal of International Business Studies, v. 23, pp. 715-736, 1992.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2006.

VAHLNE, J.; IVARSSON, I. The globalization of Swedish MNEs: Empirical evidence and theoretical explanations. Journal of International Business Studies, v. 45, p. 227-247, 2014. Disponível em: http://search.proquest.com/docview/1508601344/fulltextPDF/10147A95258488CPQ/1?accountid=12217. Acesso em: 30 nov 2015.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2006.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v9e12016152-179

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .