Ensino a distância: um panorama da expansão na região norte do Brasil

Jonas Fernando Petry, Gustavo da Rosa Borges, Maria José Carvalho de Souza Domingues

Resumo


Este estudo tem como objetivo, por meio de um exame transversal descritivo e analítico do conjunto de variáveis qualitativas nominais e ordinais, através da estatística descritiva, expor uma perspectiva sobre a EaD no Norte do Brasil. A análise realizada demonstra uma conquista de espaço desta modalidade de educação em relação à de ensino presencial. Os resultados apontam o reconhecimento da EaD como um método de ensino. No entanto, o discurso da democratização do ensino e da redução das desigualdades está limitado pela privação de tecnologias, principalmente o acesso à internet no Norte do país.

 


Palavras-chave


Gestão pública; Políticas públicas; Ensino a distância; Expansão da EaD.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALMEIDA, M. E. B. de. Tecnologia e educação a distância: abordagens e contribuições dos ambientes digitais e interativos de aprendizagem. Reunião Anual da Anped, v. 26, 2009.

ALVES, L. Educação a distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, v. 10, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Censo EAD.BR: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2012. Curitiba: Ibpex, 2013.

BATES, A. W. Technology, open learning and distance education. 2.ed., New York: Routledge, 2005.

BELLONI, M. L. Educação a distância. 5. ed. Campinas: Autores Associados, 2009.

BELLONI, M. L. Ensaio sobre a educação a distância no Brasil. Educação & sociedade, v. 23, n. 78, p. 117-142, 2002.

BRASIL. Decreto Nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2013.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, v. 134, n. 248, 23 dez. 1996. Seção 1, p. 27834-27841.

CASEY, D. M. The historical development of distance education through technology. TechTrends, v. 52, n. 2, p. 45, 2008.

COSTA, K. da S.; FARIA, G. G. EaD, sua origem histórica, evolução e atualidade brasileira face ao paradigma da educação presencial. In: CONGRESSO INTERNACIONAL ABED DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA, 14. 2008, Santos. Anais eletrônicos... ABED: Santos, 2008. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2013.

CREASE, R.; PYMM, B.; HAY, L. Bridging the gap–engaging distance education students in a virtual world. In: Ascilite Conference, p. 307-313. 2011

DEGON, R. Distance learning for the RN first assistant. AORN, v. 91, n. 1, p. 146-153, 2010.

FARIA, A. A.; SALVADORI, A. A Educação a Distância e Seu Movimento Histórico no Brasil. Revista das Faculdades Santa Cruz, v. 8, n. 1, 2010.

GARRISON, D. R.; ANDERSON, T.; ARCHER, W. A theory of critical inquiry in online distance education. In: MOORE, Michael Grahame; ANDERSON, William G. (Ed.). Handbook of distance education. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2003. p. 113-127.

GATTI, B. A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 37, p. 57-70, 2008.

GUNAWARDENA, C. N.; MCISAAC, M. S. Distance education. Handbook of research for educational communications and technology, v. 2, p. 355-395, 2004.

HILDRETH, C. R.; KOENIG, M. Organizational realignment of LIS programs in academia: From independent standalone units to incorporated programs. Journal of Education for Library and Information Science, v. 43, n. 2, p. 126-133, 2002.

HOLMBERG, B. et al. The evolution, principles and practices of distance education. Bis, 2005.

HOLMBERG, B. Growth and structure of distance education. London: Croom Helm, 1986.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo demográfico 2010. IBGE, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Síntese de indicadores sociais. IBGE, 2008.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Relatório ENADE. Brasília, 2013.

MATTHEWS, D. The origins of distance education and its use in the United States. The Journal, v. 27, n. 2, 1999.

MENDES, V. A expansão do ensino a distância no Brasil: democratização do acesso? In: SIMPÓSIO BRASILEIRO POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO, 25., 2011, São Paulo, Anais eletrônicos... São Paulo: ANPAE, 2011. p. 1-11

MESSIAS, P. P. Educação a distância: o ponto de vista do educando em gestão em saúde EAD. Anated, 2010.

MONOLESCU, D. et al. The distance education evolution: Issues and case studies. IGI Global, 2004.

MOORE, M. G.; KEARSLEY, G. EAD: uma visão integrada. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

MOORE, M. G.; KEARSLEY, G. Distance education: a systems view of online learning. CengageBrain.com, 2011.

MORAN, J. Ml. Avaliação do ensino superior a distância no Brasil. E-Learning, v. 39, 2009.

NASSEH, B. A brief history of distance education. Adult Education in the News, 1997.

PARSAD, B. et al. Distance education at degree-granting postsecondary institutions: 2006-07. IES: Washington, 2008.

PARTRIDGE, H. L. et al. Charting future directions: towards cohesive and sustainable library and information science education in Australia. Cooperation and Collaboration in Teaching and Research: Trends in LIS Education. IFLA-ALISE-EUCLID satellite meeting, World Library and Information Congress: In: IFLA GENERAL CONFERENCE AND ASSEMBLY, 76., 2010. Proceedings…Boras, Sweden, 2010.

PARTRIDGE, H. L.; YATES, C. A framework for the education of the information professions in Australia. Australian Library Journal, v. 61, n. 2, p. 81-94, 2012.

POTASHNIK, M.; CAPPER, J. Distance education: Growth and diversity. Finance and development, v. 35, p. 42-45, 1998.

SABA, F. Distance education theory, methodology, and epistemology: a pragmatic paradigm. In: MOORE, Michael Grahame; ANDERSON, William G. (Ed.). Handbook of distance education. New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2003. p. 3-20.

SCHNITMAN, I. M. O perfil do aluno virtual e as teorias de estilos de aprendizagem. Faculdade de Tecnologia e Ciências Instituição (FTC). In: SIMPÓSIO HIPERTEXTO E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO, 2010. Anais eletrônicos... Disponível em: http://www.ufpe.br/nehte/simposio/anais/Anais-Hipertexto-2010/Ivana-Maria-Schnitman.pdf. Acesso em: 28 set. 2013.

SIMONSON, M. R. et al. Teaching and Learning at a Distance: Foundations of Distance Education. Simonson, Upper Saddle River, NJ: Prentice Hall, 2000.

STRAIGHTERLINE. Infographic history of distance education. Disponível em: http://www.straighterline.com/online-education-resources/online-education-tools/infographic-history-of-distance-education/. Acesso em: 29 set. 2013.

VIANNEY, J. A ameaça de um modelo único para a EaD no Brasil. Colabor@-A Revista Digital da CVA-RICESU, v. 5, n. 17, 2008.

VILAÇA, M. L. C. Educação a distância e tecnologias: conceitos, termos e um pouco de história. Revista Magistro, v. 2, n. 1, 2010.

VILARINHO, L. R. G.; PAULINO, C. L. Educação a distância no ensino superior brasileiro: das experiências pioneiras ao sistema de rede. Revista Eletrônica de Educação, v. 4, n. 1, p. 64-79, 2010.

WILLARD, P.; WILSON, C. S. Australian professional library and information studies education programs: changing structure and content. Australian Academic and Research Libraries, v. 35, n. 4, p. 273-288, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v7e32014114-138

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .