ADAPTAÇÃO ESTRATÉGICA DE UM GRUPO EMPRESARIAL COM ORIGEM NA INDÚSTRIA DE FÓSFOROS DE SEGURANÇA

Gustavo Cristiano Sampaio, Carlos Eduardo Carvalho, Marcos Junior Marini

Resumo


A questão do determinismo ambiental e do voluntarismo tem gerado ampla discussão na área da estratégia. Este trabalho analisa o processo de adaptação estratégica de um grupo empresarial com origem na indústria de fósforos de segurança, através de um estudo de caso longitudinal. A coleta de dados foi realizada por meio de análise documental e entrevistas, além de análise através da abordagem contextualista e processualista proposta porPettigrew (1987), e do modelo proposto por Hrebiniak e Joyce (1985). Os resultados demonstram que o voluntarismo predominou no processo de adaptação da empresa, em alguns momentos acompanhado de elevado determinismo ambiental.

Palavras-chave


estratégia; adaptação estratégica; voluntarismo; determinismo

Texto completo:

PDF/A

Referências


AUGUSTO, P. M., MACHADO-DA-SILVA, C. L. Aquisição de empresas e mudança organizacional: estudo comparativo de casos. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Organizações), 1999.

BATAGLIA, W.; FRANKLIN, M. A.; CALDEIRA, A.; SILVA, A. A. da. Implicações das teorias ambientais para a administração estratégica. Revista Gestão.org. v. 7, n. 3, p. 314 - 330, 2009.

CARVALHO, C. E.; ROSSETTO, C. R.; VIANNA, S. L. G. Determinismo e voluntarismo na adaptação estratégica: o caso de uma empresa de varejo. Revista Base. v. 8, n. 4, p. 286 - 299, 2011. doi: 10.4013/base.2011.84.02.

CHILD, J. Strategic choice in the analysis of action, structure, organizations and environment: retrospecto and prospect. Organization Studies, v. 18, n. 1, p. 43-76, 1972.

DONALDSON, L. Teoria da contingência estrutural. In: Clegg et al. (org.) Handbook de estudos organizacionais, v.1, p.105-136. São Paulo, SP: Atlas, 1999.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. L. Estratégias empresariais e formação de competências: um quebra-cabeça caleidoscópio da indústria brasileira. São Paulo, Atlas, 2000.

GAVETTI, G.; LEVINTHAL, D.A.; RIVKIN, J.W. Response to Farjoun’s ‘Strategic making, novelty, and analogical reasoning – commentary on Gavetti, Levinthal, and Rivkin (2005). Strategic Management Journal, 29:1017-1021, 2008. http://dx.doi.org/10.1002/smj.691.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2014.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de empresas. V. 35, n. 3, p. 20 – 29, 1995.

GONÇALVES, S. A.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Mudança organizacional: institucionalização e cognição na análise do caso da Companhia Paranaense de Energia. Foz do Iguaçu, Anais do 23º ENANPAD (Área Temática – Organizações), 1999.

HENDERSON, B. D. As origens da estratégica. In: MONTGOMERY, C. A; PORTER M. E. (org.). Estratégica: a busca da vantagem competitiva Rio de Janeiro, RJ: Campus, 1998.

HREBINIAK, L. G.; JOYCE, W. F. Organizational adaptation: strategic choice and environmental determinismo. Administrative Science Quarterly, v. 30, p. 336-349, 1985.

LACOMBE, F. J. M. HEIBORN, G. L. J. Administração, princípios e tendências. São Paulo: Saraiva, 2003.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. da. Competitividade organizacional: conciliando padrões concorrenciais e padrões institucionais. In VIEIRA,Marcelo Milano Falcão, OLIVEIRA, Lúcia Maria Barbosa de. Administração Contemporânea: perspectivas estratégicas. São Paulo, Atlas, 1999.

MACHADO-DA-SILVA, C., FONSECA, V. S. da, FERNANDES, B. H. Rocha Um modelo e quatro ilustrações: em análise a mudança nas organizações. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Organizações), 1999.

MARION FILHO, P. J.; DALLA CORTE, V. F. As estratégias das indústrias de farinha de trigo e de massas alimentícias do Rio Grande do Sul. Revista Eletrônica de Estratégia e Negócios, Florianópolis, v. 3, n. 2, jul./dez. 2010.

MENDONÇA, J. R. C. de; VIEIRA, M. M. F. Fundamentos para análise do downsizing como estratégia de mudança organizacional. Porto Alegre, Revista Eletrônica de Administração, Edição 9, v. 5, n. 5, ISSN 1413-2311, abril 1999.

MILKOVICH, G. T.; BOUDREAU, J. W. Administração de Recursos Humanos. Tradução Reynaldo C. Marcondes. São Paulo, Atlas, 2000.

MÜLLER, L. B., VIEIRA, M. M. F. Rotinas Organizacionais Defensivas: um estudo sobre as formas de manifestação durante um processo de mudança organizacional. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Recursos Humanos), 1999.

PETTIGREW, A.M. Context and action in the transformation of the firm. Journal of Management Studies, v. 24, n. 6, p. :649-670. http://dx.doi.org/10.1111/j.1467-6486.1987.tb00467.x, 1987.

ROBBINS, S. Comportamento Organizacional. 8ª edição, Rio de Janeiro, LTC, 1999.

ROND, M.D.; THIETART, R.A. Choice, chance, and inevitability in strategy. Strategic Management Journal, 28, p. 535-551. 2007. http://dx.doi.org/10.1002/smj.602.

SMINIA, H.; ROND, M. Context and Action in the Transformation of Strategy Scholarshipjoms. Journal of Management Studies. v. 49, n. 7, 2012. doi: 10.1111/j.1467-6486.2012.01059.x.

TODARO, M. E. C; OLIVEIRA, K. K.; A concepção de estratégias em empresas empreendedoras: um estudo de caso na MEMPS Ltda. Revista Eletrônica de Estratégia e Negócios, Florianópolis, v. 1, n. 1, jan./jun. 2008.

TOLFO, S.; PICCINI, V.; GUIMARÃES, V. Trabalho, inovação e participação: um estudo multicase em empresas do setor metal-mecânico do Rio Grande do Sul. Foz do Iguaçu, Anais do 23° ENANPAD (Área temática - Administração de Ciência e Tecnologia), 1999.

WAGNER III, J. A.; HOLLENBECK, J. R. Comportamento Organizacional; tradução Cid Knipel Moreira; revisão técnica Laura Zaccarelli. São Paulo, Saraiva, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v8e3201560-91

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .