IMPLEMENTAÇÃO DA TRANSPARÊNCIA EM ORGANIZAÇÕES SOCIAIS: UM ESTUDO MULTICASOS

Rosana da Rosa Portella Tondolo, Vilmar Antonio Gonçalves Tondolo, André Andrade Longaray, Simone Portella Teixeira de Mello

Resumo


A Lei da Transparência aborda a prestação de contas do ente público para o cidadão. Neste sentido, as organizações sociais, financiadas por verbas provindas de órgãos governamentais, estão sujeitas a esses preceitos. Este artigo objetiva explorar as diferenças entre os níveis de implementação de transparência em organizações sociais brasileiras. Para isso, realizou-se uma pesquisa qualitativo-exploratória por meio de um estudo multicasos. Os dados foram analiados à luz da técnica análise de conteúdo. Como principais resultados, verificou-se o papel do Estado como indutor do processo de transparência e a inexistência de um regramento claro para as ferramentas de transparência.


Palavras-chave


Transparência; Organizações Sociais; Terceiro Setor; Multicasos; Implementação.

Texto completo:

PDF/A

Referências


AGNOL, C. F. D.; TONDOLO, R. R. P.; TONDOLO, V. A. G.; SARQUIS, A. B. Transparência e Prestação de Contas na Mobilização de Recursos no Terceiro Setor: um estudo de casos múltiplos realizado no sul do brasil. Revista Universos Contábil, v. 13, n. 2, p. 187-203, pp. 187-203, 2017.

ALVES, M. A. Social accountability as an innovative frame in civic action: the case of Rede Nossa São Paulo. Voluntas, v. 25, n. 3, p. 818-838, 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BENJAMIN, L. M. The potential of outcome measurement for strengthening nonprofits’ accountability to beneficiaries. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 42, n. 6, p. 1224-1244, 2012.

BRASIL. Controladoria-Geral da União. Cartilha de Acesso à Informação Pública: Uma introdução a Lei n. 12.527/2011, de 18 de novembro de 2011. Disponível em: . Acesso em: maio 2015.

BRASIL. Lei Complementar 131. 27 maio 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp131.htm. Acesso em: mai. 2015.

BRASIL. Lei n. 9.790. 23 março 1999. Disponível em . Acesso em: 26 jun. 2015.

CARNEIRO, A. F.; OLIVEIRA, D. L.; TORRES, L. C. Accountability e prestação de contas das organizações do terceiro setor: uma abordagem à relevância da contabilidade. Sociedade, Contabilidade e Gestão, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 90-105, jul/dez, 2011.

COELHO, M. Q.; GONÇALVES, C. A. avaliação de projetos sociais: a perspectiva da comunidade. Revista Alcance - Eletrônica, v. 18, n. 4, p. 436-447, out./dez., 2011.

COULE, T. M. Nonprofit Governance and Accountability: Broadening the Theoretical Perspective. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 44, n. 1, p. 75-97, 2015.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CRUZ, C. F.; FERREIRA, A. C. S.; SILVA, L. M.; MACÊDO, M. A. S. Transparência da gestão pública municipal: um estudo a partir dos portais eletrônicos dos maiores Municípios brasileiros. Revista de Administração Pública, v. 46, n. 1, p.153-176, jan./fev. 2012.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GIMENES, E. R. Transparência na Prestação de Contas por Organizações do Terceiro Setor. Revista Urutágua – Acadêmica multidisciplinar – DCS/UEM, n. 20, Jan-abril, p. 130-140, 2010.

JONES, K. R.; MUCHA, L. Sustainability assessment and reporting for nonprofit organizations: accountability ‘‘for the public good’’. Voluntas, v. 25, n. 6, p. 1465-1482, 2014.

KOPPELL, J. G. S. Pathologies of accountability: ICANN and the challenge of “multiple accountabilities disorder”. Public Administration Review, v. 65, n. 1, p. 94-108, january/february, 2005.

MILES, M., B.; HUBERMAN, A. M. Qualitative Data Analysis: an expanded sourcebook. 2a. ed. Sage: Thousand Oaks, 1994.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. Manual de Entidades Sociais: Ministério da Justiça. 1. ed. Brasília: Secretaria Nacional de Justiça, 2014.

MUÑOZ, L. A.; BOLÍVAR, M. P. R.; HERNANDÉZ, A. M. L. Transparency in Governments: A Meta-Analytic Review of Incentives for Digital Versus Hard-Copy Public Financial Disclosures. American Review of Public Administration, p. 1-34, 2016.

OBSERVATÓRIO do terceiro setor da Fundação Irmão José Otão. Cartilha de Sustentabilidade das organizações do terceiro setor: Captação de recursos. 2010. Disponível em . Acesso em: 11 jul. 2015.

OLIVEIRA, I. M. S. Uma investigação sobre a prestação de contas das entidades do Terceiro Setor brasileiro. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis). Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, Universidade Federal de Pernambuco, 2009.

OSPINA, S.; DIAZ W.; O’SULLIVAN, J. F. Negotiating accountability: managerial lessons from identity-based nonprofit organizations. Nonprofit and Voluntary Sector Quarterly, v. 31, n. 1, p. 5-31, mar., 2002.

RAPOPORT, S. G. Transparencia y rendición de cuentas. Revista Mexicana de Sociología, v. 73, n. 2, p. 199-229, abr./jun., 2011.

REHEUL, A. M.; CANEGHEM, T. V.; VERBRUGGEN, S. Financial reporting lags in the non-profit sector: an empirical analysis. Voluntas, v. 25, n. 2, p. 352-377, 2014.

RELLY, J. E., SABHARWAL, M. Perceptions of transparency of government policymaking: A cross-national study. Government Information Quarterly, v. 26, n. 1, p. 148-157, 2009.

RODRÍGUEZ, M. M. G.; PÉREZ, M. C. C.; GODOY, M. L. Determining factors in online transparency of NGOs: a spanish case study. Voluntas, v. 23, n. 3, p. 661-683, 2012.

ROSA, C. F. Desafio de governança à sustentabilidade de organizações sociais: em análise o projeto desenvolvimento de princípios de prestação de contas e transparência da ONG Parceiros Voluntários. Dissertação (Mestrado em Administração). Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, 2013.

SALAMON, L. M. The resilient sector: the state of nonprofit America. Snapshots Research Highlights from the Nonprofit Sector Research Fund. n. 25, set./out., 2002.

SEARSON, E. M., JOHNSON, M. A. Transparency laws and interactive public relations: An analysis of Latin American government Web sites. Public Relations Review, v. 36, n.2, p. 20-26, 2010.

SILVA, C. E. G. Gestão, legislação e fontes de recursos no terceiro setor brasileiro: uma perspectiva histórica. RAP - Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 44, n. 6, p. 1301-1325, nov./dez, 2010.

STRAUSS, A.; CORBIN, J. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

TONDOLO, R. R. P.; TONDOLO, V. A. G.; AGOSTINI, M. R.; SARQUIS, A. B.; MELLO, S. P. T. Modelo de madurez em gestión para organizaciones del tercer sector. Revista Del CLAD Reforma y Democracia, n. 66, pp. 195-224, out. 2016a.

TONDOLO, R. R. P.; TONDOLO, V. A. G.; CAMARGO, M. E.; SARQUIS, A. B. Transparência no Terceiro Setor: Uma proposta de construto e mensuração. Espacios Públicos, v. 19, n. 47, pp. 7-25, set./dez., 2016b.

VALENCIA, L. A. R.; QUEIRUGA, D. GONZÁLEZ-BENITO, J. B. (2015). Relationship between transparency and efficiency in the allocation of funds in nongovernmental development organizations. Voluntas, v. 26, n. 6, pp. 2517-2535, 2015.

ZITTEI, M. V. M.; POLITELO, L.; SCAPIN, J. E. Nível de Evidenciação Contábil de Organizações do Terceiro Setor. Administração Pública e Gestão Social, v. 8, n. 2, p. 85-94, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v10e2201781-99

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .