RESPOSTAS ESTRATÉGICAS ÀS PRESSÕES INSTITUCIONAIS PARA SUSTENTABILIDADE NO SETOR MOVELEIRO

Maríndia Brachak dos Santos, Flavia Luciane Scherer, Maíra Nunes Piveta, Aletéia de Moura Carpes, Maria Carolina Serpa Fagundes de Oliveira

Resumo


O presente estudo objetivou identificar as respostas estratégicas dadas às pressões institucionais relativas à sustentabilidade em empresas internacionalizadas do setor moveleiro do Rio Grande do Sul (RS). A pesquisa caracterizou-se como exploratória com abordagem qualitativa e foi operacionalizada por meio de entrevistas exploratórias com três empresas. Para identificar as respostas estratégicas às pressões institucionais para a sustentabilidade utilizou-se do modelo de Oliver (1991). Os resultados apontaram comportamento de respostas estratégicas distinto entre as empresas analisadas. Enquanto algumas sugerem respostas mais passivas, como aquiescência; outras demostraram tomar decisões mais ativas, como compromisso e fuga.


Palavras-chave


Respostas estratégicas; Pressões institucionais; Sustentabilidade; Internacionalização; Setor moveleiro.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALIGLERI, L.; ALIGLERI, L. A.; KRUGLIANSKAS, I. Gestão socioambiental: responsabilidade e sustentabilidade do negócio. São Paulo: Atlas, 2009.

ALMEIDA, F. Os desafios da sustentabilidade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS DO MOBILIÁRIO - ABIMÓVEL. Dados do setor. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2014.

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 26000: Diretrizes sobre responsabilidade social. 2010.

AZEVEDO, P. S de. Estratégias e requisitos ambientais no processo de desenvolvimento de produtos na indústria de móvel sob encomenda. 2009. 143 f. Tese (Doutorado em Recursos Florestais) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Piracicaba, 2009.

BANSAL, P. Evolving sustainably: a longitudinal study of corporate sustainable development. Strategic Management Journal, n. 26, p. 197-218, 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 4. ed. Lisboa: Edições 70, 2010.

CAO, L.; PEDERZOLI, D. International retailers’ strategic responses to institutional environment of emerging Market. International Journal of Retail & Distribution Management, v. 41, n. 4, 2013.

CONSELHO DE MANEJO FLORESTAL NO BRASIL - FSC. Certificação. Disponível em: < http://br.fsc.org/certificao.177.htm>. Acesso em: 10 jan. 2014.

CUNHA, C. F.; SPERS, E. E.; ZYLBERSZIAJN, D. Percepção sobre atributos de sustentabilidade em um varejo supermercadista. Revista de Administração de Empresas, v. 51, n. 6, p. 542-552, 2011.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. A gaiola de ferro revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais. Revista de Administração de Empresas RAE, São Paulo, v. 45, n. 2, p. 74-89, abr./jun. 2005.

ELKINGTON, J. Cannibals with forks: the triple bottom line of 21st century business. Canadá: NSP, 1998.

FONSECA, V. S. da. A abordagem institucional nos estudos organizacionais: bases conceituais e desenvolvimento contemporâneos. In: VIEIRA, M. M. F; FALCÃO, M. M.; CARVALHO, C. A. (Org.). Organizações, instituições e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2003.

FREITAS, C. C. G.; HOCAYEN-DA-SILVA, A. J. ; SEGATTO, A. P. Formulação estratégica e fatores isomórficos: análise do arranjo produtivo local de malhas de Imbituva. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 12, n. 1, p. 1-28, 2013.

GRAEFF, J. F. Pressões ambientais e respostas estratégicas na institucionalização do plantio direto no Paraná. 2005. 209 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

HART, S. L.; MILSTEIN, M. B. Criando valor sustentável. Ed. especial. RAE Executivo, v. 3, n. 2, p. 65-79, Maio/Jul. 2004.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; COCHIA, C. B. R. Ambiente, interpretação e estratégia em organizações paranaenses dos setores de vestuário e alimentos. Revista de Administração Contemporânea, v. 8, ed. especial, p. 11-35, 2004.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. Competitividade organizacional: uma tentativa de reconstrução analítica. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, ed. especial, art. 2, p. 33-49, 2010.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S. da.; CRUBELLATE, J. M. Estrutura, agência e interpretação: elementos para uma abordagem recursiva do processo de institucionalização. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, ed. especial, art. 4, p. 77-107, 2010.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Portugal, v. 9, n. 37, p. 7-32, 1999.

MOZZATO, A. R; GRZYBOVSKI, D. Análise de conteúdo como técnica de análise de dados qualitativos no campo da administração: potencial e desafios. Revista de Administração Contemporânea, v.15, n. 4, p. 731-747, Jul./Ago. 2011.

OLIVER, C. Strategic responses to institucional processes. Academy of Management Review, v. 16, n. 1, p. 145-179, 1991.

PASQUALOTTO, C.; SAMPAIO, C. H.; PERIN, M. G. Barreiras à exportação no setor moveleiro. In: ENCONTRO DE ESTUDOS EM ESTRATÉGIA, 3., 2007, São Paulo. Anais... São Paulo, ANPAD, 2007.

SANCHES, C. S. Evolução das práticas ambientais em empresas industriais: um modelo genérico. In: ENANPAD, 5., 1997, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPAD, 1997.

SANTOS, M. S. dos. Instituições e estratégia como prática: uma análise das estratégias de aquisição de matéria-prima dos produtores de biodiesel da região sul do Brasil. 2013. 263 f. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

SELZNICK, P. A liderança na administração: uma interpretação sociológica. Rio de Janeiro: FGV, 1972.

SUDDABY, R. Challenges for institutional theory. Journal of Management Inquiry, v. 19, n. 1, p. 14-20, 2010.

SUTTER, C. J. et al. Entrepreneurs' responses to semi-formal illegitimate institutional arrangements. Journal of Business Venturing, v. 28, p. 743-758, 2013.

SCHERER, F. L. Negócios internacionais: a consolidação de empresas brasileiras de construção pesada em mercados externos. 2007. 329 f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

SCOTT, W. R. Institutions and organizations: ideas and interests. London: Sage publications, 2008.

SCOTT, W. R. et al. Institutional Change and Healthcare Organizations: From Professional Dominance to Managed Care. Chicago, University of Chicago Press. 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v10e22017100-124

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .