COMPETÊNCIAS DO BIBLIOTECÁRIO NO TRABALHO EM BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA DE UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA: IMPLICAÇÕES DAS DIMENSÕES INTERDISCIPLINARES E DA SUBJETIVIDADE

Luhilda Ribeiro Silveira, Ana Paula Grillo Rodrigues

Resumo


Apresentam-se considerações acerca das competências do bibliotecário no trabalho em uma biblioteca universitária de uma instituição pública de ensino. Parte-se da perspectiva pautada na ação no trabalho, onde competência é considera uma ação que se expressa no contexto onde é demandada. Realizou-se pesquisa documental e pesquisa de campo, na biblioteca central do Núcleo de Bibliotecas da UFMA. A análise de dados pautou-se na análise de conteúdo, cujas categorias base foram: grupos de trabalho; situações complexas; e dimensões da competência. Destaca-se a importância da dimensão do sentido do trabalho, e da interdisciplinaridade na expressão das competências no trabalho numa biblioteca universitária e interconexões entre: saber, poder agir, e querer agir, evidenciando que competência se situa em meio à multimensionalidade que envolve a subjetividade e o contexto de trabalho.


Palavras-chave


Gestão de unidades de informação; Biblioteca universitária; Gestão de pessoas; Competência.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ARAÚJO, Eliany Alvarenga; OLIVEIRA, Marlene de. A produção do conhecimento e a origem das bibliotecas. In: Ciência da informação e biblioteconomia: novos conteúdos e espaços de atuação. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005, p. 29-43.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BICALHO, Lucinéia Maria; OLIVEIRA, Marlene. Aspectos conceituais da multidisciplinaridade e da interdisciplinaridade e a pesquisa em ciência da informação. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 16, n. 32, p. 1-26, 2011. Disponível em: . Acesso em 16 fev. 2017.

BOYATZIS, Richard E. Competence and job performance. In BOYATZIS, Richard E. The competent manager: a model for effective performance. New York: John Wiley & Sons. 1982. p. 10-39.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

DEJOURS, Christophe. Subjetividade, trabalho e ação. Production, São Paulo , v. 14, n. 3, p. 27-34, dec. 2004. Disponível em: . Acesso em 28 fev. 2017.

FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. A Universidade no Brasil: das origens à Reforma Universitária de 1968. Educar, Curitiba, n.28, p.17-36, 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

FLEURY, Maria Teresa Leme; FLEURY, Afonso. Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea - RAC. v.5, Edição especial, p.183-196, 2001. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rac/v5nspe/v5nspea10.pdf >. Acesso em 20 nov. 2015.

FLEURY, Maria Teresa Leme; FLEURY, Afonso. Em busca da competência. 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2016.

JAPUASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

LANCMAN, Selma; UCHIDA, Seiji. Trabalho e subjetividade: o olhar da psicodinâmica do trabalho. Cadernos de Psicologia Social e do Trabalho, São Paulo, v. 6, p. 79-90, dez. 2003. Disponível em: . Acesso em: 23 ago. 2016.

LE BOTERF, Guy. Desenvolvendo a competência dos profissionais. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

LE BOTERF, G. Avaliar a competência de um profissional: três dimensões a explorar. Reflexão RH, p. 60-63, 2006. Disponível em: < http://www.guyleboterf-conseil.com/Article%20evaluation%20version%20directe%20Pessoal.pdf>. Acesso em: 17 fev. 2016.

MC CLELLAND, Testing for competence rather than for "intelligence". Psychologist, v.1, january, 1973.

MORIN, Estelle. Os Sentidos do Trabalho. RAE: Revista de Administração de Empresas. v. 41, n.3, jul/set, p. 8-19, 2001.

NICOLESCU, Basarab. O Manifesto da Transdisciplinaridade. In: SOMMERMAN, Américo; MELLO, Maria F. de; BARROS, Vitória M. de. (Org.). Educação e transdisciplinaridade. São Paulo : TRIOM, 2002. Tradução do Francês por Lucia Pereira de Souza. Disponível em: . Acesso em 16 fev. 2017.

RUAS, Roberto. Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In: RUAS, Roberto; ANTONELO, Cláudia Simone; BOFF, Luis Henrique. (Org.) Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competência. Porto Alegre: Bookman, 2005. p.34-54.

RUSSO, Marisa. A biblioteca universitária no cenário brasileiro. 2003. Disponível em:. Acesso em: 19 jun. 2016.

SANDBERG, Jörgen. Understanding human competence at work: an interpretative approach. Academy of Management Jouonal. v.43, n.1, p.9-25, 2000.

SANDBERG, Jörgen.; TARGAMA, Axel. Three human competence at work: a question of understanding. In SANDBERG, Jörgen.; TARGAMA, Axel. Managing understanding in organizations. London: Sage Publications, 2007. Cap. 3, p.51-74.

SISTEMA NACIONAL DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS. Tipos de bibliotecas. [20--]. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

SOUZA, Francisco das Chagas de. O ensino de Biblioteconomia no contexto brasileiro: século XX. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2009.

TOLFO, Suzana da Rosa; PICCININI, Valmíria. Sentidos e significados do trabalho: explorando conceitos, variáveis e estudos empíricos brasileiros. Psicologia & Sociedade, v.19, Edição Especial 1, p.38-46, 2007.

ZARIFIAN, Philippe. Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo; Atlas, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v11e020183-29

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .