A DISTRIBUIÇÃO FÍSICA COMO RECURSO COMPETITIVO NUMA EMPRESA DE LATICÍNIOS

Bruno Layson Ferreira Leão, Yákara Vasconcelos Pereira, Viviane Santos Salazar

Resumo


Este estudo objetivou analisar se a distribuição física da empresa de laticínios pode gerar vantagem competitiva. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com gestores da empresa estudada e enviados questionários a clientes varejistas de Mossoró-RN. A análise evidenciou a capacidade da distribuição de agregar valor ao cliente mantendo a precisão, agilidade, e margem mínima de erros como valores centrais. Identificaram-se os seguintes recursos competitivos: flexibilidade no fluxo das atividades, localização, sistema de ERP, pessoal e reputação. Apenas a reputação é capaz de promover vantagem competitiva sustentável, enquanto que a localização proporciona vantagem competitiva temporária e os demais recursos garantem apenas paridade competitiva.


Palavras-chave


Distribuição física; RBV; VRIO; Recurso competitivo; Vantagem competitiva

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALMEIDA, M. V. Distribuição física como recurso estratégico na obtenção de vantagem competitiva no segmento de bens de consumo de massa no Brasil. Dissertação de mestrado (Mestrado em Administração de Empresas) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2012.

ALMEIDA, M. V.; MARCONDES, R. C. A distribuição física como recurso estratégico de fabricantes de bens de consumo para a obtenção da vantagem competitiva. Revista de Administração (FEA-USP), v. 49, p. 656-670, 2014.

BALLOU, R. H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/Logística empresarial. Porto Alegre: Bookman. 2006.

BARNEY, J. B. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, v. 17, n.1, p. 99-120, 1991.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. S. Administração estratégica e vantagem competitiva. São Paulo, Pearson Prentice Hall, 2007.

BARROS, M. M. N. Logística – a busca de novas estratégias para as operações de distribuição física, apoio à fabricação e suprimento.Revista do Centro de Ciências Administrativas, Fortaleza, v. 7, n. 1, p. 55-61, nov. 2001.

BONI, V.; QUARESMA, S. J.; Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em ciências sociais, Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, vol.2, nº1(3), jan.-jul, p. 68-80, 2005.

BOWERSOX, D, J; CLOSS, D. J. Logística Empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimentos. São Paulo: Atlas, 2001.

CARVALHO, D. M.; PRÉVOT, F.; MACHADO, J. A. D. O uso da teoria da Visão Baseada em Recursos em propriedades rurais: uma revisão sistemática da literatura. Revista de Administração, v. 49, n. 3, p. 506­518, 2014.

CHRISTOPHER, Martin. A Logística do Marketing. Ed. Futura, 5ª. Edição, 2003.

CHURCHILL JR, G. A.; PETER, J.P. Marketing: criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva, 2013.

CORTES, S. M. V. Como fazer análise qualitativa de dados. In: BÊRNI, D. A. Técnicas de pesquisa em economia: transformando curiosidade em conhecimento. São Paulo: Saraiva, p. 234-270, 2002.

COUGHLAN, A. T. et al. Canais de marketing e distribuição. 6. ed.Porto Alegre: Bookman, 2002.

DESLANDES, F.S. GOMES, R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

GIL, Antonio Carlos; Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. 2. Reimpr. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

HAMBRICK, D. C. The top management team: key tostrategic success. California Management Review, v. 30, n. 1, p. 88-108, 1987.

HITT, M. A.; IRELAND, R. D.; HOSKISSON, R. E. Administração estratégica: competitividade e globalização. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

KOTLER, P. Marketing management. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 2000.

LEMOS, L. R.; TORTATO, U. Canais de distribuição e vantagem competitiva sustentável: uma análise baseada em recursos da firma. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 2, n. 2, p. 121-132, maio/ago. 2009.

MINTZBERG, H.; LAMPEL, J.; QUINN, J. B.; GHOSHAL, S. O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

NEVES, M. F. Um Modelo para Planejamento de Canais de Distribuição no Setor de Alimentos – Tese de doutorado. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, USP, 1999.

NOVAES, A. G. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. Editora Campus, 3. Ed, 2007.

OLIVEIRA, E. F. A.; FILGUEIRA, M. C. M. Primeiros passos na iniciação científica. v.1412. Mossoró: Coleção Mossoroense, série C, 2004.

PAZ, H. R. Canales de distribución: estratégia e logística comercial. 2. ed. Buenos Aires: Ugerman, 2000.

PELTON, L. E; STRUTTON, D.; LUMPKIN, J. R. Marketing channels: a relationship management approach. Ed. Times Mirror Books, 1997.

PENROSE, E. A teoria do crescimento da firma. Campinas-SP: Editora da Unicamp, 2006.

PETERAF, M. A. The cornerstones of competitive advantage: a resource-based view. Strategic Management Journal, Chicago, v. 14, n.3, p.179-191, Mar. 1993.

PINTO, K. C. R.Distribuição física de eletrodomésticos não portáteis. Revista de Administração, v. 29, n. 3, p. 84-89, 1994.

PORTER, M. E. Cost Advantage. In: PORTER, M. E. Competitive advantage: creating and sustaining superior performance. New York: Free Press, p. 62-118, 1985.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999.

RUIZ, J.A. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

SHYNCON, H, N., KRENN, John, M. Modeling sales response of customer service for more effective distribution. Proccedings of National Council of Physical Distribution Management. v. 1, New Orleans: LA. p.14-17, October, 1983.

STERN, L. W.; EL-ANSARY A. I; COUGHLAN, A. T. Marketing channels. 5. ed. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1996.

TEECE, D. J.; PISANO, G.; SHUEN, A. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, Chicago, v.18, n.7, p.509-533, Oct. 1997.

WERNERFELT, B. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal, v. 5, p. 171-180, 1984.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v11e2201856-87

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .