A ESTRATÉGIA DE POSTPONEMENT: MOTIVAÇÕES E FATORES QUE FAVORECEM SUA ADOÇÃO EM AGROINDÚSTRIAS DE ALIMENTOS

Adailton Luiz Nardocci, VERA MARIZA HENRIQUES DE MIRANDA COSTA, Rosane Lucia Chicarelli Alcântara, Fábio Ferraz Júnior, José Luis Garcia Hermosilla

Resumo


Constituem objetivos deste artigo, caracterizar a estratégia de postponement ou postergação, descrever sua aplicação em uma agroindústria processadora de alimentos e identificar, a partir de revisão da literatura e de estudo de caso, motivações, benefícios e fatores favoráveis para sua adoção pelo segmento investigado. O estudo de caso foi desenvolvido em empresa processadora de alimentos, no interior do estado de São Paulo. Pôde-se concluir que as principais motivações para a adoção da estratégia postponement são: sazonalidade da matéria prima, incerteza diante da variação das especificidades dos produtos demandados, economia de escala e custo de produção e de estocagem.


Palavras-chave


Estratégia de processamento; Processamento customizado; Incerteza de demanda; Sazonalidade da matéria prima; Processamento de tomate e goiaba.

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALDERSON, W. Marketing efficiency and the principle of postponement. Cost and Profit Outlook, n.3, p.15-18, 1950.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDUSTRIA DE ALIMENTOS – ABIA. O setor em números. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2015.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDUSTRIA DE ALIMENTOS – ABIA. Indústria da Alimentação em 2016. Disponível em: < http://www.abia.org.br/vsn/tempNumerosdoSetor2016.pdf >. Acesso em: 21 ago. 2017.

BATALHA, M. O. Gestão do Agronegócio, São Carlos: EdUFSCAR, 2005.

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E SOCIAL. BNDES. Classificação de porte de empresa. Disponível em: < https://web.bndes.gov.br/bib/ jspui/ bitstream/1408/4261/1/Cartilha%20MPME%202015.pdf >. Acesso em: 02 nov. 2015.

CARDOSO, P. A. O princípio da postergação: um estudo das tintas na cadeia de suprimentos das tintas para impressão, 2002. 158p. Tese (Doutorado em Engenharia Industrial) ,PUC, Rio de Janeiro – RJ, 2002.

CHOLETTE, S. Mitigating demand uncertainty across a winery’s sales channels through postponement. International Journal of Production Research, v. 47, n. 13, p.3587-3609, 2009.

CHOLETTE, S. Postponement Practices in the Wine Industry: Adoption and Attitudes of California Wineries. Supply Chain Forum: An international Journal, v. 11, n. 1, 2010.

CUNHA, D. C. Avaliação dos resultados da aplicação de postponement em uma grande malharia e confecção de Santa Catarina. 2002. 173 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) – Departamento de Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

FERREIRA, K. A. Uma estrutura conceitual para a aplicação do postponement: estudo multi-caso em empresas da indústria de alimentos, 2009, 203p. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção), UFSCAR, São Carlos –SP, 2009.

FERREIRA, K. A.; ALCÂNTARA, R. L. C. Adoção do Postponement em empresas produtoras de derivados de tomate. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 32, 2012, Bento Gonçalves (RS). Anais… 2012a.

FERREIRA, K. A.; ALCANTARA, R. L. C. Postponement: uma análise baseada na perspectiva histórica da literatura. Revista Brasileira de Estratégia, v. 5, n. 2, p. 165-178, 2012b.

FERREIRA, K. A.; TOMAS, R. N. ; ALCÂNTARA, R. L. C. A theoretical framework for postponement concept in a supply chain. International Journal of Logistics, v. 18, p. 46-61, 2014.

GRAMAN, G. A. A Partial-Postponement Decision Cost Model. European Journal of Operational Research, v. 201, n.1, p. 34–44, 2010 .

HESKETT, J. L. Logistics: Essential to strategy. Harvard Business Review, n. 6, p. 85-96, 1977.

HAMZAGIC, M. Flexibilidade de entrega na montadora e postponement. 2003. 166 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Departamento de Economia, Contabilidade e Administração da Universidade de Taubaté, Taubaté, 2003.

INSTITUTO BRASILERIO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Classificação de porte de empresa de acordo com IBGE. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2015.

KISPERSKA-MORON, D.; SWIERCZEK, A. The selected determinants of manufacturing postponement within supply chain context: An international study. International Journal of Production Economics, v. 133, n. 1, p.192-200, 2011.

MARTINS, R.A. Abordagens Quantitativa e Qualitativa in MIGUEL, P.A.C. Metodologia da Pesquisa em Engenharia de Produção e Gestão de Operações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

MENDES, F. D.; LIMA, F. D. M.; FUSCO, J. P. A.; SACOMANO, J. B. Postergação como estratégia competitiva no segmento jeanswear da manufatura do vestuário de moda - MVM. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO – ENEGEP, XXVIII, 2008, Rio de Janeiro. Anais...Rio de Janeiro: 2008.

MIGUEL, P. A. C. Estudo de Caso na Engenharia de Produção: estruturação e recomendações para sua condução. Revista Produção. São Paulo. V.17, n.1, 2007.

NARDOCCI, A. L.; COSTA, V.M.H.M. Aplicação da estratégia de postponement em uma agroindústria processadora de alimentos. Anais.. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, ENEGEP, XXXV, 2015, Fortaleza (CE). 2015.

OSHIRO, A. M.; DRESCH, D. M.; SCALON, S. P. Q. Preservação de goiabas Pedro Sato armazenadas sob atmosfera modificada em refrigeração. Revista de Ciências Agrárias, v. 35, n. 1, p. 213-221, 2012.

ROCHA, M. S.; NUNES, F. R. M.; MAIA, G. L.; GUIMARÃES, L. R. Impactos da utilização da estratégia logística de postponement na cadeia logística de calçados da região do Crajubar: Um estudo de caso. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO – ENEGEP, XXIX, 2009, Salvador. Anais... Salvador: 2009.

SALVI, V. Z.; MAYERLE, S. F. Postponement in a Cold Food Chain: Production in Brazil. International Business Research, v. 7, n. 9, 2014.

SAMPAIO, M. O poder estratégico do postponement. 2003, 189p. Tese (Doutorado em Administração). EAESP/FGV, São Paulo – SP, 2003.

SAMPAIO, M.; CSILLAG, J. M. Direcionadores na difusão da estratégia de postponement: Casos de empresas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, v.14, n.1, 2010.

TURRIONI , J. B.; MELLO, C. H. P. Metodologia de Pesquisa em Engenharia de Produção: Estratégias, métodos e técnicas para condução de pesquisas quantitativas e qualitativas. Itajubá: UNIFEI, 2012.

VAN DONK, D. P. Make to stock or make to order: The decoupling point in the food processing industries. International Journal Production Economics, v. 69, p.297-306, 2001.

VAN HOEK, R. I. Postponed Manufacturing: a case study in the food supply chain. Supply Chain Management: An International Journal. Vol. 2 Iss 2 p 63-75, 1997.

VAN HOEK, R. I. Postponement and the reconfiguration challenge for food supply chains. Supply Chain Management, v. 4, n. 1, p.18-34, 1999.

WONG, H.; POTTER, A.; NAIM, M. Evaluation of Postponement in the Soluble Coffee Supply Chain: A Case Study. International Journal Production Economics, 131 (1): 355–364. 2011.

YEUNG, J. H. Y.; SELEN, W.; DEMING, Z.; MIN, Z. Postponement strategy from a supply chain perspective: Cases from China. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, v. 37, n. 4, p.331-356. 2007.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Trad. Daniel Grassi. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

YOKOYAMA, M. H. Análise das estratégias de produção em fornecedores de marcas próprias: estudo multi-caso em empresas do setor de alimentos. 2010, 200p. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção). UFSCAR, São Carlos- SP, 2010.

ZINN, W.; BOWERSOX, D.J. Planning physical distribution with the principle of postponement. Journal of Business Logistics, v.9, n.2,p. 117-136, 1988.

ZINN, W. O retardamento da montagem final de produtos como estratégia de marketing e distribuição. Revista de Administração, São Paulo, v.30, n.4, 1990.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v11e012018254-279

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .