COMPORTAMENTO ESTRATÉGICO EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

Sheila Patrícia Ramos Beckhauser, Daniele de Lourdes Curto da Costa Martins, Maria José Carvalho de Souza Domingues

Resumo


O objetivo do estudo é identificar o comportamento estratégico em Instituições de Ensino Superior, na perspectiva de coordenadores de curso em uma IES privada e uma pública. Para tanto, adotou-se uma metodologia quantitativa quanto à abordagem de pesquisa, e quanto aos objetivos, descritiva. Como resultados verificou-se que na IES privada destaca-se o comportamento estratégico prospector que indica busca por novas oportunidades de mercado e tendências emergentes no ambiente em que atuam, criando mudanças e gerando incerteza aos seus concorrentes. Na IES pública identificou-se um comportamento estratégico defensor caracterizado por voltar-se internamente a sua eficiência e operações.

 


Palavras-chave


Comportamento Estratégico; Modelo de Miles e Snow; Gestão Universitária.

Texto completo:

PDF/A

Referências


AMBONI, N. de F. Estratégias organizacionais: um estudo de multicasos em sistemas universitários federais das capitais da região sul do país. 1995. 143 f. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Administração) - Curso de Pós-graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianóplois.

AXELROD, R.; COHEN, M. Harnessing complexity: organizational implications of a scientific frontier. New York: The Free Press, 1999.

BALDRIDGE, J. V. (1983). Organizational Characteristics of Colleges and Universities. In J.V. Balridge & Deal, T. (Eds.). The dynamics of organizational change in education. Berkeley: McCutchan, 38-59.

BALDRIDGE, J.V. Power and Conflict in the University. New York: Wiley, 1971.

BUSH, T. Theories of Educational Management. International Journal of Educational Leadership Preparation, v. 1, n. 2, p. n2, 2006.

BUNDT, C. F. C. Universidade: mudanças e estratégias de ação. 2000. 114f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Centro Sócio-Econômico - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis

BRANDT, E. Strategies by Norwegian universities to meet diversified market demands for continuing education. Higher Education, v. 44, n. 3, p. 393-411, 2002.

CADERNOS DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DAS UNIVERSIDADES – IAU. A Administração das Universidades. Fortaleza: Edições UFC, 1981.

CHAUI, M. A universidade pública sob nova perspectiva. Rev. Bras. Educ. [online]. 2003, n. 24. p. 5-15.

COHEN, M.; MARCH, J. Leadership and Ambiguity: The American College President.2.ed. Boston: Harvard Business School Press, 1974.

DEGN, L. Sensemaking, sensegiving and strategic management in Danish higher education. Higher Education, v. 69, n. 6, p. 901-913, 2015.

GIMENEZ, F. Estratégia em pequenas empresas: uma aplicação do modelo de Miles e Snow. Revista de administração contemporânea, v. 3, n. 2, p. 53-74, 1999.

HAIR JR., J. F. et al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, 2005.

KERR, C. Usos da universidade. Fortaleza: UFC, 1982.

LEITÃO, S. P. A questão organizacional na universidade: as contribuições de Etzioni e Rice. Revista de Administração Pública, v. 19, n. 4, p. 3-26, 1985.

MARRA, A. V.; MELO, M. C. de O. L. A prática social de gerentes universitários em uma instituição pública. Revista de Administração Contemporânea, v. 9, n. 3, p. 9-31, 2005.

MEYER JR., V.; LOPES, M.C.B. Planeamiento universitario: mito y realidad. Boletín de Investigación Educacional, Santiago, v. 21, n. 1, p. 283-292, 2006.

MEYER, JR.,V.; MEYER, B.; ROCHA, R. A. da. Empreendedorismo na Gestão Universitária: um estudo de caso. RGO - Revista Gestão Organizacional. 2(1): 4962,- Jan./Jun. – 2009.

MEYER JR, V.; PASCUCCI, L.; MANGOLIN, L. Gestão estratégica: um exame de práticas em universidades privadas. Revista de Administração Pública-RAP, v. 46, n. 1, 2012.

MEYER JR, V. A prática da administração universitária: contribuições para a teoria. Revista Universidade em Debate, v. 2, n. 01, p. 12-26, 2014.

MILES, Raymond E. et al. Organizational strategy, structure, and process. Academy of management review, v. 3, n. 3, p. 546-562, 1978.

MOREIRA, C. A relação entre estratégia e performance nas instituições de ensino superior privadas da região sul. 2007, 132 f. 2007. Dissertação (Mestrado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração–Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

REBELO, L. M. B. A dinâmica do processo de formação de estratégias de gestão em universidades: a perspectiva da teoria da complexidade. 2004.

REIS, J. A. F.; MARTINS, R. R. da R.; GAIO, J.; LOHMANN, L. M. Estrutura do ensino superior brasileiro: um diagnóstico estratégico societário. REBRAE. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 88-99, jan./mar. 2014.

RODRIGUES, R. De F. A. Ações estratégicas no contexto de uma Instituição de Ensino Superior do Norte do Brasil. 2010. 88 f. Dissertação (Mestrado em administração) - Programa de Pós-Graduação em Administração – Fundação Universidade Regional de Blumenau, Blumenau.

WEICK, K. E. Educational Organizations as loosely coupled systems. In: Administrative Science Quarterly, 1976, n.21, p.1-19.




DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v11e22018248-265

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .