Balanced Scorecard em Instituições de Ensino Superior: uma análise das perspectivas

Carlos Rogério Montenegro de Lima, Thiago Coelho Soares, Mauricio Andrade de Lima

Resumo


Este artigo tem como objetivo verificar as perspectivas do Balanced ScoreCard (BSC) utilizadas em Instituições de Ensino Superior (IES) . Esta pesquisa descritiva, bibliográfica e com análise documental teve caráter quantitativo, na qual foram analisadas vinte e cinco IES estrangeiras sediadas nos Estados Unidos, Turquia e Tailândia. Além destas, mais dezessete IES nacionais foram analisadas. Como resultado da pesquisa, observa-se que três perspectivas são mais recorrentes nas instituições do exterior: processos internos, financeira e clientes. Já nas instituições nacionais, verificam-se quatro perspectivas em mais da metade das instituições analisadas: Processos Internos, Clientes, Aprendizado e Crescimento e Financeira. Ressalta-se que embora as perspectivas originais sugeridas por Kaplan e Norton (1997) sejam as mais utilizadas, algumas IES utilizaram perspectivas diferenciadas. Nas instituições estrangeiras, destacam-se: Inovação; Pessoas; Stakeholders; Gestão Acadêmica; Recursos; Comunidade; Aprendizado dos Estudantes; Imagem e Reconhecimento; Diversidade; Processos de Negócios Internacionais; Desenvolvimento Organizacional; Clima Organizacional; e Eleitores. Nas instituições nacionais, algumas perspectivas foram incorporadas ou adaptadas do modelo original: Sociedade; Mercado; Legal; Inovação; Acionistas

Palavras-chave


Avaliação de Desempenho; Balanced Scorecard; Instituições de Ensino Superior.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/reen.v4e12011183-205

##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. eletr. estrat. neg.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1984-3372

Licença Creative Commons


REEN is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported .