HIPOPLASIA DO ESMALTE COMO FATOR DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DA DOENÇA CÁRIE

Vitória Lemos Mateus, Larissa Rocha de Bem, Luciana Sousa Firmino Bastos, Sandra Teixeira Bittencourt

Abstract


Introdução: a hipoplasia do esmalte é uma formação incompleta ou defeituosa da matriz orgânica do esmalte dentário em desenvolvimento, provocando deficiências e irregularidades na superfície do tecido dentário, tendo como causa fatores sistêmicos, genéticos e etiológicos. Pacientes com higiene bucal comprometida, principalmente jovens, podem favorecer a maior ação do biofilme bacteriano e consequentemente aumentar as chances de desenvolver lesões cariosas. Objetivo: promoção de saúde bucal em paciente portador de hipoplasia do esmalte. Caso clínico: paciente de 21 anos, gênero masculino, com os dentes acometidos com hipoplasia, manchados desde o seu irrompimento, com presença de mancha marrom na cúspide disto- vestibular do dente 16, mancha esbranquiçada no terço incisal da face vestibular do dente 21 e cálculo supragengival no sextante cinco. Durante o tratamento foi realizado PSR (Avaliação Periodontal Simplificada), índice O’leary inicial, instrução de higiene bucal, raspagem supragengival do sextante 5, reavaliação periodontal, índice O’Leary final e correção das técnicas de higiene bucal. Ao final do tratamento obteve-se uma diminuição considerável do índice O’leary final. Conclusão: o profissional deve estar preparado para realizar um correto diagnóstico, para que se obtenha o prognóstico mais adequado e o tratamento mais favorável.


Keywords


Cárie. Fator de risco. Hipoplasia.



DOI: http://dx.doi.org/10.19177/jrd.v0e02019%25p

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Journal of Research in Dentistry, University of Southern of Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2317-5907

Licença Creative Commons
This work is licensed under a Creative Commons Attribution Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.