Sentidos do corpo: metáfora e interdiscurso

Aline Fernandes de Azevedo

Resumo


Sustentado na teorização do corpo como forma material, este artigo apresenta a análise de dois recortes selecionados no Facebook e que trazem como marca principal a inscrição na pele do sujeito, pelo traço na carne. Nele, procuro tecer considerações acerca do funcionamento da metáfora e do interdiscurso, privilegiando-os como forma de dar visibilidade aos procedimentos teórico-analíticos e refletir sobre as especificidades da análise de discurso de filiação pêcheutiana em estudos de textualidades verbovisuais. As textualidades analisadas permitem ver as inscrições corporais como marca da contradição e da divisão, sinais de pertencimento capazes de produzir efeitos de sentido de multiplicidade e transparência, em um corpo caleidoscópico e polifônico.

Palavras-chave


Análise de discurso; Textualidade verbovisual; Corpo; Inscrição na pele

Texto completo:

PDF/A


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.