Nível de letramento do professor: implicações para o trabalho com o gênero textual na sala de aula

Eliege Wernke Niehues Dela Justina

Resumo


O presente trabalho objetiva apresentar o nível de letramento do professor de português da escola pública de Santa Catarina a partir da leitura e escrita de textos pertencentes aos gêneros da esfera social do trabalho docente. A questão norteadora refere-se à dificuldade da transposição didática pelo professor, da teoria à prática, pela leitura que faz do texto oficial da educação no estado (a Proposta Curricular de Santa Catarina). A pesquisa fundamenta-se em teorias do letramento de Soares (1998, 2001), Kleiman (1995), Rojo (1998, 2000, 2002), Leite (2001), entre outros, e na noção de gênero do discurso bakhtiniana, como foi discutida por Rodrigues (2000, 2001), Rojo (2002) e Schneuwly (mímeo). O corpus analisado resultou de aplicação de uma pergunta sobre gêneros e tipos textuais a quatro professores da Escola de Educação Básica Dom Joaquim, de Braço do Norte, Santa Catarina. Constatou-se, com a pesquisa, que o nível de letramento do professor de português não é suficiente para que ele compreenda e discuta o capítulo referente à Língua Portuguesa do documento em questão, pelo menos ao ponto de constituir práticas reflexivas no seu cotidiano profissional a partir do que lhe vem sendo proposto. Há ausência total de planejamento de aulas que contemplem os gêneros textuais nos Planos de Curso dos professores pesquisados. Tais professores, também não conseguiram, em sua totalidade, diferenciar gênero de tipo textual.

Palavras-chave


Letramento; Gêneros do discurso; Tipo textual; Leitura

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.