Ler e escrever na Universidade: um fazer sócio-histórico-cultural

Rodrigo Acosta Pereira, Sandro Braga

Resumo


O presente artigo objetiva delinear uma discussão teórico-metodológica acerca das práticas de ensino e de aprendizagem da leitura e da escrita na esfera acadêmica à luz das considerações epistemológicas de cunho sócio-histórico. Para tanto, revisitamos os escritos do Círculo de Bakhtin, assim como as postulações dos Novos Estudos de Letramento, a fim de construir inteligibilidades em torno das práticas de uso da língua escrita na universidade. Acreditamos que o trabalho apresenta-se relevante não apenas porque, a nosso ver, procura contribuir com as discussões atuais da Linguística Aplicada sobre as práticas de escrita e leitura na academia, como, por conseguinte, corrobora as contribuições dos estudos bakhtinianos e as pesquisas sobre letramento acadêmico para a ressignificação do fazer pedagógico em torno do ensino e da aprendizagem da leitura e da escrita na universidade.

Palavras-chave


Leitura; Escrita; Esfera acadêmica; Gênero do discurso; Letramento(s)

Texto completo:

PDF/A


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.