Os mediadores das práticas de letramento de professores em formação inicial

Ana Lúcia Guedes-Pinto

Resumo


Tomando como base a geração de dados proporcionada pela pesquisa “Formação do professor: processos de retextualização e práticas de letramento”, focalizo o processo de apropriação da prática de leitura vivenciado pelos professores em formação inicial. Nas narrativas de memórias sobre suas experiências pessoais da infância, da juventude e da contemporaneidade do curso de Pedagogia, identificamos indícios de como esses sujeitos se inseriram nas práticas de letramento das quais se apropriaram ao longo de seus percursos. Nesse processo de inserção no mundo da escrita, conforme narrado pelos professores, emergem diversos mediadores de suas práticas leitoras. Tendo como referência teórico-metodológica do trabalho de campo a História Oral, os princípios da etnografia e assumindo a abordagem dos Estudos do Letramento e da História Cultural, procuro identificar esses diferentes mediadores e discutir seu papel no percurso de formação do profissional do ensino. Considerando, portanto, a memória de leituras narradas e o que elas nos trazem de conhecimento acerca dos variados personagens que co-protagonizaram suas histórias, busco apontar possibilidades de trabalho com relação à formação de professores.

Palavras-chave


Letramento; Leitura; Formação de professores; Memória; Narrativa

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.