FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Dr. Otaviano Helene (USP)

Resumo


Neste trabalho, discutimos o que deve e o que não deve ser considerado investimentos em educação e como, no Brasil, a falta de definições legais e rigorosas permite uma arbitrariedade que compromete os dados divulgados. Discutimos, também, como comparar investimentos entre países diferentes, sugerindo que o produto interno bruto e a renda per capita são os dois melhores parâmetros para tal comparação. É discutido o impacto positivo dos investimentos educacionais bem como a necessidade do Brasil aumentar seus investimentos no setor.

Palavras-chave


Financiamento da Educação; Investimento em Educação; Parâmetros para Investimento em Educação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v7e11201319-25

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED