O PROFISSIONAL DO GÊNERO MASCULINO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: COM A PALAVRA PAIS E PROFESSORES

Aliandra Cristina Mesomo Lira, Geovana de Paula Bernardim

Resumo


Parte-se da consideração de que a atuação com as crianças pequenas veio configurando-se como uma profissão relegada à mulher, assentando-se em argumentos que a apresentam como a pessoa mais competente para exercer tal função, estando em segundo plano o entendimento de que é a formação que capacita o profissional para atuar na Educação Infantil. Para discutir tais questões, partiu-se de um estudo teórico, sendo posteriormente aplicados questionários a pais e professores de dois Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI). Com a análise das respostas foi possível identificar, por um lado, o reconhecimento da competência, tanto de profissionais do gênero masculino quanto feminino, no trabalho com as crianças na Educação Infantil. Contudo, por outro lado, ainda perdura um estranhamento quanto à possibilidade dos homens assumirem tal tarefa.


Palavras-chave


Educação Infantil; Profissionais; Gênero Masculino

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v9e15201580-97

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED