AS POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR EM PORTUGAL E O CASO DOS ESTUDANTES NÃO TRADICIONAIS: REFLEXÕES SOBRE O DIREITO DOS ADULTOS À EDUCAÇÃO (SUPERIOR)

Rosanna Maria Barros, Sara Mónico Lopes

Resumo


Neste artigo de cariz analítico, propusemo-nos mapear alguns aspetos da evolução das políticas públicas de ensino superior em Portugal, usando as propostas teóricas de Pires (2014) e de Barroso, Carvalho, Fontoura e Afonso (2007), para refletir sobre a mais recente medida política que visou democratizar o acesso dos adultos (maiores de 23 anos) ao ensino superior ao mesmo tempo que visou atrair “novos públicos” para este setor do sistema nacional de ensino. Neste texto interessou-nos apresentar aspetos da dimensão simbólica das políticas públicas que captamos através de uma metodologia qualitativa. O argumento principal elaborado com base numa reflexão crítica sobre os resultados é que o direito dos adultos à educação pressupõe tanto a democratização do acesso como a democratização do sucesso, pelo que as medidas de política educativa pública que não comportem ação governativa em ambos os sentidos são insuficientes.

 


Palavras-chave


Políticas Públicas; Ensino Superior; Estudantes Não-tradicionais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v9e162015364-383

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED