CRITÉRIOS DE INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR PELA VIA DA RESERVA DE VAGAS: UMA DISCUSSÃO SOB A LENTE DAS ENGENHARIAS

Daniele Rego Novaes, Hustana Maria Vargas

Resumo


O presente artigo oferece subsídios para uma discussão acerca dos critérios (cor, renda, origem escolar) que qualificam os candidatos a pleitear vagas via política de cotas, examinando o caso de um curso de elevado prestígio social em instituição altamente concorrida, o curso de Engenharia da UFRJ. Essa questão é examinada com base no perfil socioeconômico dos cotistas de quatro cursos de engenharia que ingressaram em dois desenhos distintos de política afirmativa de reserva de vagas: a política de autoria da própria instituição praticada em 2012 e a Lei de Cotas adotada pela UFRJ em 2013. À luz de referencial teórico oriundo da Sociologia da Educação, os resultados permitem a comparação entre essas duas políticas e problematizam as ações afirmativas quanto aos critérios utilizados. 


Palavras-chave


Ações Afirmativas; Democratização; Ensino Superior; Engenharia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v9e162015313-332

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED