A INSERÇÃO UNIVERSITÁRIA DOS ALUNOS/AS EGRESSOS/AS DO COLÉGIO ESTADUAL DIAS VELHO DA DÉCADA DE 1950

Norberto Dallabrida, Leticia Vieira

Resumo


No Estado de Santa Catarina, o ensino secundário de caráter público e gratuito foi implantado de forma tardia e restrita. Apenas em 1950, com abertura do curso colegial no Colégio Estadual Dias Velho (CEDV), passou-se a oferecer educação secundária completa para as frações de classes não abastadas da capital catarinense. O presente trabalho propõe-se a compreender, em perspectiva bourdieusiana, a inserção dos/as ex-alunos/as do CEDV, da década de 1950, em cursos universitários. O corpus documental deste estudo foi constituído por questionários adaptados do trabalho Les effets d’une “éducation totale”, de Jean Pierre Faguer, e aplicados com os egressos. A formação secundária de qualidade oferecida pelo educandário público possibilitou, para a maioria quase absoluta dos egressos, uma efetiva inserção no Ensino Superior, mas com clara assimetria de gênero.


Palavras-chave


Ensino Secundário; Colégio Estadual Dias Velho; Ensino Superior

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v9e162015261-279

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED