FAZENDO O DEVER DE CASA: ESTRATÉGIAS MUNICIPAIS PARA EDUCAÇÃO INFANTIL EM FACE ÀS ORIENTAÇÕES DO BANCO MUNDIAL

Rosânia Campos

Resumo


O presente texto origina-se em uma pesquisa desenvolvida junto às três maiores cidades dos estados de Santa Catarina e Rio grande do sul, cujo objetivo era analisar quais estratégias esses municípios estavam privilegiando para atender a obrigatoriedade da matrícula aos quatros anos. Foi uma pesquisa documental, na qual a coleta de dados foi realizada em diferentes sites federais e municipais. Os dados coletados foram tabulados e, posteriormente, analisados. As análises indicaram duas fortes estratégias priorizadas: o conveniamento e a parcialização do atendimento. Para este artigo, optamos em discutir o processo de conveniamento na maior cidade de cada um dos estados, procurando captar os nexos entre essa opção governamental e as indicações dos organismos internacionais, sobretudo o Banco Mundial, que defendem os atendimentos informais como uma proposta boae de baixo custo para o desenvolvimento da primeira infância. 


Palavras-chave


Políticas para Educação Infantil. Educação Infantil. Pré-escola. Organismos Internacionais.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v10e182016353-370

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED