Escolas étnicas no Brasil e a formação do estado nacional: a nacionalização compulsória das escolas dos imigrantes (1937-1945)

Lúcio Kreutz

Resumo


O texto Escolas étnicas no Brasil e a formação do estado nacional: A nacionalização compulsória das escolas dos imigrantes (1937-1945), trata do processo de nacionalização do ensino no Brasil, com ênfase na nacionalização compulsória sob o paradigma da uniformização cultural, entre 1937-1945, em momento histórico de forte acento nacionalista, salientando as consequências desse processo para a cidadania dos imigrantes. A análise foi realizada na perspectiva da história cultural, entendendo-se etnia como um dos elementos constituintes do processo histórico. Como resultado de pesquisa é possível afirmar que a escola, chamada a ter um papel central na configuração de uma identidade nacional, tomou-se um fator de incentivo à exclusão de processos identitários étnicos, construindo uma representação das etnias que melhor correspondesse à edificação do projeto nacional.

Palavras-chave


Escolas étnicas no Brasil; Formação do estado nacional; Nacionalização compulsória Escolas dos imigrantes (1937-1945)

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v3e5201071-84

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED