INDICADORES EDUCACIONAIS COMO ESTRATÉGIAS: CHAVES PARA COMPREENDER A NOVA GOVERNAMENTALIDADE NA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE

Karina de Araújo Dias

Resumo


Este artigo apresenta um estudo sobre a oferta de cursos de formação continuada, destinados aos professores que atuam no Ensino Fundamental na Rede Municipal de Ensino de Florianópolis, que apresentam os indicadores educacionais como balizas para a sua realização. Toma como recorte o período 2000-2013 e Elege, como metodologia, as teorizações que integram o campo de estudos foucaultianos. São fontes de análise: os registros de planejamento dos cursos, entrevistas com docentes, diário de campo das observações dos cursos, bem como os documentos que normatizam a política de formação continuada docente em âmbito nacional e municipal. Conclui que a oferta de cursos produz subjetividades docentes ancoradas na responsabilização pelos êxitos e fracassos, circunscritas à eficácia ou ineficácia para atingir os resultados estruturados em torno de metas, tendo como cenário uma competição balizada por indicadores educacionais. 


Palavras-chave


Formação Continuada Docente; Indicadores Educacionais; Subjetividade Docente

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v12e222018440-454

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED