O retorno de jovens e adultos aos estudos formais após 20, 30, 40 anos

André Boccasius Siqueira

Resumo


Este texto tem como objetivo principal promover uma reflexão acerca das razões que homens e mulheres adultas retornam à escola, aos bancos escolares, após muitos anos fora do ambiente escolar. Espaço esse com muitas peculiaridades, ou seja, regras, horários a serem cumpridos, tarefas a serem realizadas fora dos horários de aula com prazos estipulados para a entrega, ou seja, as tarefas escolares. Para tanto, realizou-se uma pesquisa com estudantes da Educação de Jovens e Adultos em três escolas localizadas na cidade de São Leopoldo/RS. As etapas pesquisadas foram da terceira à quarta, referentes às séries finais do Ensino Fundamental. A pesquisa deu-se através de três questões fechadas, em que os estudantes tinham que expor a opinião pessoal, sem a interferência do pesquisador. A primeira questão referente ao último ano em que estudou, a segunda acerca de quem o estudante recebe incentivos para estudar e o que dizem ao incentivá-lo e, por fim, o estudante revela o porquê está estudando, o que o motiva a estudar e suas expectativas na EJA. No final faço uma apresentação de minha leitura, uma breve reflexão, a partir das respostas fornecidas pelos estudantes, em que o principal foco que se revela são as Políticas Públicas para a Educação de Jovens e Adultos – EJA – uma vez que aparecem nas contribuições dos estudantes, quais sejam o Mundo do Trabalho, as preocupações com o futuro, o tempo perdido fora da escola e as relações interpessoais.

Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos; Políticas Públicas para a Educação de Jovens e Adultos; Retorno aos estudos; Auto-estima.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v2e3200932-43

Poiésis. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN-e 2179-2534

Licença Creative Commons

Poiésis is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Não a obras derivadas 3.0 Unported License.

Apoio:

 FAPESC

 

ANPED