Caracterização de indivíduos com cefaleia do tipo tensional e relação com a qualidade de vida, depressão e ansiedade

Alice Ferreira, Jaqueline Morais, Josiane Souza, Célio Ferreira, Thaís Machado, Ana Paula Santos

Resumo


Introdução: A cefaleia do tipo tensional é frequente e causa prejuízos pessoais significativos. A fisioterapia está atuando cada vez mais nesta doença, ajudando no controle da dor, melhorando a qualidade de vida. Faz-se necessário o conhecimento de fatores que interferem nesta doença para que a abordagem fisioterapêutica seja o mais eficiente possível. Objetivo: Caracterizar indivíduos com cefaleia do tipo tensional e relacionar as variáveis da dor à qualidade de vida, depressão e ansiedade. Material e Métodos: Onze indivíduos com diagnóstico clínico de cefaleia do tipo tensional responderam as Escalas de Ansiedade e Depressão de Beck e Qualidade de Vida SF-36, assim como, questionário para caracterização da amostra. Os dados foram analisados de forma descritiva e inferencial, o coeficiente de correlação linear de Pearson (r) foi utilizado. Resultados: A dor encontrada foi de alta frequência (55%), intensidade (63%) e impacto negativo sobre a vida (45,5%). Sintomas graves de ansiedade (36,5 %) foram encontrados. Houve correlação significativa entre dor e depressão (r = 0,621; p = 0,04) e impacto da dor e  aspectos emocionais – SF-36 (r = -0,626; p = 0,039). Considerações Finais: A cefaleia do tipo tensional pode causar impacto negativo grave nos pacientes levando a diminuição da qualidade de vida e a ansiedade e depressão precisam ser consideradas no tratamento fisioterapêutico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


R. fisioter. reab., Universidade do Sul de Santa Catarina, Palhoça, ISSN 2526-7353

 

Licença Creative Commons
O trabalho Revista Fisioterapia & Reabilitação de http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/RFR está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.