A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA EM ARTHUR SCHOPENHAUER

Beatriz Sene Klug

Resumo


ste trabalho constitui-se numa pesquisa sobre a experiência estética como forma de liberação do sofrimento. Está baseado nos escritos de Schopenhauer e de alguns comentaristas. Muitos comentaristas concordam que a teoria estética de Schopenhauer é uma variante da teoria da experiência desinteressada da arte de Kant, embora ele transforme a teoria do juízo do gosto para uma atitude de contem-plação estética. Na primeira parte do artigo, trata-se de realizar uma introdução à metafísica de Schopenhauer, comparando a influência de Kant no seu trabalho. Em seguida, uma análise de sua obra principal: O Mundo como Vontade e Representa-ção, também mostrando os aspectos significativos da abordagem de Kant. Na se-gunda parte, o argumento é a experiência estética – a partir da observação desinte-ressada à libertação dos ciclos de sofrimento. Schopenhauer, portanto, transforma a análise de Kant dizendo que a coisa-em-si é possível quando paramos de ver o mundo por meio de nossas vontades.


Palavras-chave


Experiência estética; Arthur Schopenhauer; Immanuel Kant.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Beatriz Sene Klug

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. eletr. Fil. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN  Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.