DESCARTES, HEIDEGGER, A CONDIÇÃO HUMANA E A QUESTÃO DO TEMPO FUTURO

Fabrício Fonseca Machado

Resumo


Neste artigo, pretendemos investigar o problema da condição humana e a sua relação com o tempo, sobretudo o futuro, a partir das perspectivas de Descartes e Heidegger. Ao conceber o sujeito como pensante, René Descartes instituiu a metafísica da subjetividade e a primazia da razão para a interpretação do homem. Na sua esteira, surgiu a sociedade cientificista, altamente especializada, que corrompeu a noção de ser. Por essa concepção, o tempo não passa de uma sucessão de eventos, da ordem mensurável do movimento. Sucede, todavia, que a caracterização do tempo como mera sequência de fatos, um após o outro, encobre a possibilidade de significância do agora e afasta o homem do seu ser genuíno. Na visão de Heidegger, é preciso entender o tempo como determinante da estrutura primordial do ser e sopesar precipuamente o porvir para o desvelamento da sua mais correta hermenêutica.
Palavras-chave: Descartes. Heidegger. Homem e tempo.


Palavras-chave


Descartes; Heidegger; Homem e tempo.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Fabrício Fonseca Machado

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. eletr. Fil. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN  Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.