CUPUAÇU: A FRUTA GLOBALIZADA

Lucimar Batista Socha, Rosa Beatriz Madruga a Pinheiro

Resumo


O objetivo deste trabalho é procurar mostrar de forma sucinta como a fruta tipicamente brasileira obteve uma entrada notória no mercado internacional. Os benefícios adquiridos com a exportação e o desenvolvimento de políticas de distribuição de renda nas comunidades menos favorecidas, já que a produção e distribuição podem ser realizadas mesmo de maneira informal. O estudo baseou-se em pesquisas via internet, noticiários e órgãos tais como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- EMBRAPA, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia- INPA, Instituto Nacional de Propriedade Industrial-INPI e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE, pesquisas estas que demonstram aa diversas possibilidades no   aproveitamento da fruta seja na produção de alimentos, cosméticos e artesanato entre outros. A comercialização internacional enfrentou alguns problemas na sua introdução ao mercado, devido ao fato de outro país ter tentado apoderar-se da marca. Com a luta da comunidade científica e do governo brasileiro através de processos judiciais, conseguiram reverter a situação pelo no nome, que foi preservado. Hoje encontramos em muitos países, com maior facilidade produtos feitos com o CUPUAÇU, fruta que leva o nome e sabor tipicamente brasileiro.


Palavras-chave


Cupuaçu, comunidades, comercialização, tipicamente.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v4e22015554-567

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.